1/07/2010 12:00 am

VÍDEOS DE ESTUDANTES DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SÃO VENCEDORES NO 33º GUARNICÊ

VÍDEOS DE ESTUDANTES DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SÃO VENCEDORES NO 33º GUARNICÊ
A premiação foi realizada na cerimônia de encerramento do Guarnicê

Com roteiro e direção da estudante Andréa Barros, e produção, arte e fotografia de Geylson Paiva, ambos do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o vídeo “Na costa da minha mão” foi premiado em quatro categorias, no último sábado, 26, na solenidade de encerramento do 33º Guarnicê, festival de cinema maranhense, realizado desde o dia 22, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís.

Na costa da minha mão foi premiado como Melhor Vídeo Maranhense e pelo Prêmio Cinematográfico Assembleia Legislativa do Maranhão, concorrendo a nível nacional na premiação de Bernardo Almeida, Mauro Bezerra e Estúdios Mega Rio de Janeiro. Ao retratar uma antiga tradição, que vem sendo esquecida pela sociedade, bem como suas lendas, histórias, origem e principais características, o vídeo mostra dificuldades enfrentadas pelos raros grupos de sotaque de bumba-meu-boi de costa de mão, que existem exclusivamente em Cururupu – MA.

“Sinto-me feliz ao receber esta premiação, tendo em vista que o vídeo foi feito com poucos recursos e muita luta, além da forte vontade de mostrar à sociedade o sotaque de costa de mão. Com o apoio de Geylson Paiva que produziu, trabalhou a fotografia e a arte do vídeo consegui ganhar em quatro categorias”, comemora Andréa Barros.

Outro participante premiado foi o estudante de Comunicação André Garros, com o filme “Ruídos do Tempo”, na categoria Menção Honrosa, pela experimentação estética. Segundo o autor, o filme foi produzido em parceria com seu amigo Gabriel Carvalho.

De acordo com o documentarista Luiz Bargamann Netto (USP), que produziu o vídeo “Canoa Caiçara”, o festival permite mostrar uma caracterização diferente, no sentido de registrar o conhecimento tradicional do pescador para a sociedade.

“Este documentário revela o conhecimento do pescador em desenvolver uma canoa, o que não é fácil, além de fazer parte de uma cultura que fabrica um meio de transporte, é uma forma de tirar o seu sustento, tendo em vista que este tipo de condução é muito utilizado para a pesca. Hoje, pouco temos visto esse tipo de transporte, daí então, minha vontade de documentar um fato de grande importância, que com avanços tecnológicos foi perdido”, comenta o documentarista Luiz Netto.

Segundo os organizadores do evento, há 33 anos, a UFMA valoriza e enriquece o roteiro cultural e turístico do Maranhão com o Festival Guarnicê de Cinema. Um festival que projeta para todo o país a nova imagem da extensão Universitária.

Como somatório de todas as suas edições, o Festival Guarnicê de Cinema já exibiu mais de 20 mil horas de projeção e mais de 15 mil trabalhos, entre super-8, 16 e 35 milímetros, vídeos, comerciais, reportagens, videoclipes e vídeos do minuto. Um festival visto por mais de 220 mil pessoas de várias nacionalidades.

“Estamos satisfeitos com o sucesso do Guarnicê e cientes das mudanças ocorridas. Algumas dificuldades enfrentadas durante o evento servirão para estarmos sempre aperfeiçoando o festival, que além de ser um dos mais antigos e respeitados do Brasil, na área, tem proporcionado reconhecimento a muitos brasileiros.Neste ano foi proposto um ponto de virada para iniciar uma nova história, e superar desafios, bem como a inovação do conceito cultural, o local de realização e o lançamento de um novo olhar sobre o Guarnicê, com enfoque para o futuro. De olho nos novos mercados para os realizadores profissionais e iniciantes. Foram realizadas cinco oficinas e pela primeira vez o Guarnicê de cinema foi exibido no cine ímpar do jornal “O Imparcial” e agora no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana”, comentou Alberto Dantas, coordenador do Festival.

O Guarnicê recebeu, este ano, mais de seis mil alunos da rede pública estadual de ensino, o que mostra os resultados conquistados com importantes parcerias, entre patrocinadores, apoiadores e a equipe da UFMA. O evento contou, também, com a participação da atriz Françoise Forton que declarou-se realizada em participar, pela primeira vez, de um trabalho tão especial. “É muito importante ter um festival regional que possibilita a divulgação de excelentes trabalhos que não são vistos no mundo dos cinemas. Estou encantada com o Estado, com a cultura e com a arte. E um evento como este, tende a crescer e engrandecer a cultura do Estado”, afirma a atriz.

O 33º Festival Guarnicê de Cinema teve a apresentação da Petrobrás, com promoção da UFMA por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC), da Pró-Reitoria de Extensão (Proex).

Confira o resultado oficial

Edição de Texto: Giselle Marques

FONTE: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=8627

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br