17/08/2010 12:00 am

VI CONFERÊNCIA DE PAZ, “DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO POPULAR: POR UM LIMITE DA PROPRIEDADE

VI CONFERÊNCIA DE PAZ, “DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO POPULAR: POR UM LIMITE DA PROPRIEDADE DA TERRA”

Como tema desta sexta edição da  “Conferência de Paz”, as entidades organizadoras e apoiadoras deliberaram por dar uma seqüência a abordagem de temas sociais de extrema importância para o país, assim como nas edições anteriores da conferência, vindo então a definir como tema principal,  “Direitos Humanos e Participação Popular: Por um Limite da Propriedade da Terra”.

A conferência se soma aos esforços que diversos setores da sociedade desenvolveram, para novamente colocar em foco este secular problema ainda não resolvido em nosso país, e que estará sendo objeto de um “Plebiscito pelo Limite da Propriedade da Terra”,   que se realizará na Semana da Pátria, entre os dias 1 e 7 de setembro em todo o país, promovido pelo Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo (FNRA), movimento que desde seu início conta com a participação de entidades como Cáritas, CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço; CIMI – Conselho Indigenista Missionário;  CONIC; CONTAG – Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura; CPT – Comissão Pastoral da Terra; MST – Movimento Sem Terra; Pastorais Sociais e a  CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, entre outras dezenas de não menos importantes entidades da sociedade organizada.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, consagra valores como a justiça e direitos como o do trabalho digno, entre tantos outros, e considerando  a dívida histórica ainda existente em nosso país, no tocante a questão agrária, onde segundo informa o Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo, que com base nos dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) , menciona que em 2006, no Brasil, 2,8% das propriedades rurais se constituam em latifúndios e ocupavam mais da metade de extensão territorial agricultável do país, correspondendo então a 56,7%,do território propício à agricultura, e em contrapartida as pequenas propriedades representavam  62,2% dos imóveis, ocupando apenas  7,9% desta área agriculturável  total, podemos depreender que a garantia de direitos neste aspecto tem muito ainda a avançar,  e sendo assim, enquanto defensores dos direitos humanos, não poderíamos deixar de louvar e apoiar as ações das igrejas e demais entes da sociedade, em estarem identificados com esta causa, promovendo ações que além de levar a sociedade a refletir sobre os problemas, buscam avançar este processo diante das necessidades existentes.

Repetindo o apoio já consolidado nas conferencias anteriores e somando-se nesta edição outros organismos, queremos finalmente destacar que esta realização, no âmbito do ideário das ações promovidas pelo  CRDHDR, e esta articulação conjunta também se constitui num exemplo concreto de que igrejas e religiões podem trabalhar juntas  e em paz, por causas comuns, aliando-se ainda a outros tantos organismos, no que se faz necessário lembrar que esta Conferência de Paz, tem sua realização pelo seguinte pool de organizações:   Câmara dos Deputados; Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC – Igreja Católica Apostólica Romana; Igreja Episcopal Anglicana do Brasil; Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia; Igreja Presbiteriana Unida; Pastorais Sociais – CNBB; Cáritas Brasileira; Secretaria de Direitos Humanos (SDH); Universidade Católica de Brasília (UCB); Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP); Comissão Pastoral da Terra (CPT); Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo (FNRA); Movimento de Educação de Base (MEB); Iniciativa das Religiões Unidas (URI); Movimento Amigos da Paz; União Planetária e Comunidade Bahá’í, e ainda o apoio da Missionszentrale der Franziskaner e Livraria Paulus

Abaixo reproduzimos a programação.
Informações: 
CONIC – www.conic.org.br

Texto: Elianildo Nascimento (Séc.Exec. CRDHDR)
Fonte: CONIC e Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo

 

VI CONFERÊNCIA DA PAZ

Dia 19 de Agosto (Quinta Feira)
Auditório: Nereu Ramos – Câmara dos Deputados – Congresso Nacional
Horário: 09:00 às 17:00 horas
Programação
– 9 h  – Mesa de abertura
Deputado Michel Temer (PMDB/SP)
Rev. Luiz Alberto Barbosa – Secretário Geral do CONIC
Pe. Dirceu Fumagali – Comissão Pastoral da Terra (CPT)
Representante da Secretaria Especial de Direitos Humanos

– 10 h – 1ª mesa: Direitos Humanos e a participação popular
Deputado Nazareno Fonteles (PT/PI)
Dr. Iradj Eghrari – Comunidade Baha’i – Mediador
Representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT)
Representante da Conferência Nacional dos Trabalhadores na Agricultura
(CONTAG)
Dr. Daniel Seidel – Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP)

– 11 h – Palestrante convidado:
Dr. Marlon Jacinto Reis – Juiz de Direito

– 11:40 h  –  Debates

– 12:20 h – Espaço para a imprensa

– 13 h – Almoço

– 14 h – 2ª mesa: Plebiscito popular “Por um Limite da Propriedade da Terra”
Prof. Luiz Bassegio – Plebiscito Popular
Dr. Marcelo Lavenère – Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE)
Sr. Gil
berto Portes – Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo (FNRA)

– 15:15 h –  Debates

– 16 h –  Intervalo

– 16:15 h – Mesa de encerramento
P. Sin. Carlos Augusto Möller – Presidente do CONIC
Pe. Dirceu Fumagalli – Comissão Pastoral da Terra (CPT)
Sr. Everardo de Aguiar Lopes – Assessor de Direitos Humanos do CONIC.

FONTE: http://www.cptnacional.org.br/index.php/noticias/13-geral/365-vi-conferencia-de-paz-direitos-humanos-e-participacao-popular-por-um-limite-da-propriedade-da-terra

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br