9/11/2010 12:00 am

VERMELHO ENTRE FINALISTAS DO PRÊMIO ANAMATRA DE DIREITOS HUMANOS

VERMELHO ENTRE FINALISTAS DO PRÊMIO ANAMATRA DE DIREITOS HUMANOS

A edição 2010 do Prêmio Anamatra de Direitos Humanos já tem finalistas. Os integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Anamatra selecionaram nesta quinta-feira (4) os trabalhos recebidos nas categorias Instituição, Judiciário Cidadão e Imprensa (TV, rádio e internet e impresso). OVermelho está entre os finalistas com a série especial sobre trabalho escravo.

Os trabalhos finalistas serão escolhidos pelos membros do Conselho de Representantes da Associação, na reunião desta quinta-feira (11), quando serão conhecidos os primeiros colocados.

Os vencedores receberão a estatueta, inspirada no “Cilindro de Ciro”, e prêmio em dinheiro no valor líquido de R$8 mil. A premiação acontecerá no dia 8 de dezembro, em Brasília.

Vermelho publicou, em maio deste ano, uma série de matérias para denunciar a situação dos trabalhadores brasileiros que ainda hoje estão submetidos a condições de trabalho análogas à escravidão. As entrevistas, dados de pesquisas e resultados dos trabalhos de fiscalização do Ministério do Trabalho divulgadas na série especial dão conta de que ações públicas no Brasil para combater o trabalho escravo ainda são insuficientes, as punições são leves e a Justiça morosa e complacente, ou mesmo cúmplice com os criminosos, geralmente muito bem situados na pirâmide social, o que torna comum a reincidência. 

Mesmo quando resgatados pelo poder público, o trabalhador “sem qualificação nem escolaridade” tende a se submeter à mesma situação, é o que o leitor e a leitora do Vermelho tomaram conhecimento a partir do conjunto de matérias que compôs a reportagem especial sobre trabalho escravo no Brasil, destacou o jornalista Umberto Martins, responsável pela edição da série.

Outros finalistas

Na categoria Instituição, estão concorrendo como finalistas o projeto Inclusão da pessoa com deficiência mental no mercado de trabalho: viabilizando acesso e demonstrando potencialidades, da presidente da Apae, Ligia Beatriz Hoss; o Programa Diversidade na Empresa, do Centro de Vida Independente do Rio de Janeiro e o Projeto Caminhando no combate ao trabalho infantil, da Fundação Centro Unificado de Capacitação e Arte (Fundação Cuca).

Na categoria Judiciário Cidadão, concorrem os projetos Curso Direitos Humanos e Mediação de Conflitos, de Rosely Belo Ribeiro Vieira; Cordel do Trabalho, de José Vieira Neto; e Oficina do Direito, de Felipe Hotz de Macedo Cunha.

Concorrem na categoria Imprensa, subcategoria TV, a Série Juventude Vendida, da TV Correio (afiliada da Rede Record na Paraíba); a matéria Trabalho como matriz de direitos, da TV Verdes Mares (afiliada da TV Globo no Ceará); e a matéria Do trabalho para escola: um caminho possível em direção aos direitos humanos, também da TV Verdes Mares.

Na subcategoria Internet e Rádio, concorrem como finalista junto com o Portal Vermelho a matéria Trabalho em Dia, do Tribunal Regional do Trabalho 10ª Região e a matéria: Esquema abastece mercado ilegal de ambulantes, da Rádio Gazeta AM

Para o prêmio na subcategoria Impresso (Jornal de Revista) são finalistas as matérias Genocídio e Resistência dos Índios do Brasil e Agronegócio escraviza milhares de trabalhadores no campo – capital paulista abriga escravidão, ambas da Revista Caros Amigos; e a matéria Banido há dois anos, amianto continua em uso em São Paulo, do Jornal Valor Econômico

Menção honrosa

A Comissão de Direitos Humanos da Anamatra decidiu conferir menção honrosa ao trabalho Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque, da categoria Judiciário Cidadão. A Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque é um projeto social gerido pela Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC). 

Idealizado pelo juiz João José Rocha Targino, o programa, em funcionamento há quatro anos, visa a inclusão social de crianças carentes através da música. A comunidade escolhida é o Coque, um dos bairros mais violentos e de menor Índice de Desenvolvimento Humano de Recife. 

Atualmente, a Orquestra atende gratuitamente 130 jovens, entre 5 e 17 anos. Os alunos recebem aulas de instrumentos de corda, percussão, teoria musical, flauta doce e canto coral.

De Brasília
Márcia Xavier

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=141175&id_secao=6

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br