23/09/2010 12:00 am

VENDA DE TÍTULOS PÚBLICOS PELA INTERNET ATRAI MAIS DE 200 MIL PESSOAS FÍSICAS EM AGOSTO

VENDA DE TÍTULOS PÚBLICOS PELA INTERNET ATRAI MAIS DE 200 MIL PESSOAS FÍSICAS EM AGOSTO

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O número de pessoas físicas que comprou títulos públicos pela internet ultrapassou a marca de 200 mil em agosto. Segundo números divulgados hoje (23) pelo Tesouro Nacional, o Programa Tesouro Direto encerrou o último mês com 200.648 investidores cadastrados.

Somente em agosto, 3.504 participantes aderiram ao programa, que vende títulos públicos a pessoas físicas pela internet. Nos últimos 12 meses, o total de investidores aumentou em 21,85%.

As vendas de títulos pelo Tesouro Direto no mês passado atingiram R$ 259,53 milhões, o segundo maior valor mensal da história. A quantia só é menor que a registrada em julho, quando as emissões tinham somado R$ 267,8 milhões. O terceiro maior volume mensal é de R$ 259,1 milhões, em outubro de 2008.

Os títulos corrigidos por índices de preços foram os papéis mais procurados pelos investidores em agosto, com 47,34% do vendido. Em segundo lugar, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos no momento da emissão), com 41,74%. Os papéis vinculados à taxa básia de juros (Selic) responderam por 10,92% das emissões no mês passado.

Segundo o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, os resultados dos últimos meses mostram que o Tesouro Direto está mais conhecido. “Os pequenos investidores aos poucos estão sendo atraídos pelo retorno seguro e pelos juros rentáveis”.

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas adquiram títulos públicos diretamente pela internet. A compra é feita sem intermediários, mas o aplicador tem que pagar taxa a uma corretora que ficará com a custódia dos títulos.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem para captar recursos e honrar compromissos. Em troca, compromete-se a devolver o valor com um adicional, que pode ser a taxa Selic, índices de inflação, variação do dólar ou uma taxa definida antecipadamente.

 

 

Edição: Rivadavia Severo

FONTE: http://agenciabrasil.ebc.com.br/web/ebc-agencia-brasil/enviorss/-/journal_content/56/19523/1048953

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br