14/09/2011 12:00 am

União Acadêmica Paraense promove debate sobre divisão do estado

No último dia 8 de setembro, o auditório do Instituto de Ciências Jurídicas da UFPA foi tomado por mais de 250 estudantes que participaram de um debate, organizado pela União Acadêmica Paraense (UAP), em parceria com a União Nacional dos Estudantes (UNE), sobre tema que tem gerado polêmica: a divisão do estado do Pará.

Em 5 de maio deste ano, foram aprovados pela Câmara Federal dois projetos que autorizaram a convocação de um plebiscito que dirá respeito à possível criação dos estados: Tapajós e Carajás, que seriam desmembrados do Pará.

Contra a divisão

Para defender o posicionamento contra a divisão, esteve presente ao debate o deputado federal Claudio Puty (PT/PA), que falou a respeito da inviabilidade do projeto de criação dos estados e que a divisão traria apenas mais miséria para a região. Puty pontuou também que o tamanho do estado não influenciaria no desenvolvimento da sociedade, comparado a outros estados brasileiros. “O que devemos dividir não é só no Pará, não é o território, e, sim, as riquezas que temos”, finalizou.

Defendendo a criação dos estados, o deputado estadual João Salame (PPS/PA) afirmou que essa medida aproximaria as políticas públicas da população desassistida pelos últimos governantes do estado. Apresentando números e estudos, ele mostrou que a criação dos estados irá beneficiar os três estados, aumentando a arrecadação e os investimentos necessários para o melhor desenvolvimento das regiões.

Após o posicionamento dos parlamentares, o plenário pôde fazer suas intervenções e perguntas para os debatedores, tendo seus questionamentos respondidos nas considerações finais.

Juventude no debate

“O cenário político e social do estado do Pará girará até o final do ano acerca do plebiscito que ocorrerá no dia 11 de dezembro, o qual decidirá sobre a possível criação dos estados de Tapajós e Carajás. Trata-se, portanto, de um tema muito importante e que necessita de um debate na comunidade acadêmica, afinal, determinará a vida de mais de sete milhões de habitantes. Portanto, a UAP sentiu necessidade de tomar essa iniciativa e levar para dentro da universidade esse tipo de debate, para que o estudante paraense tome maior conhecimento sobre o assunto e possa votar conscientemente no final do ano”, comentou a presidente da UAP, Tamara Figueiredo.

Argumentos

O vice da UNE PA/AP, Rafael Costa, também ressaltou a importância desse tipo de debate democrático dentro das universidades e que a UNE, como em toda sua história, sempre estará à frente das pautas e lutas mais importantes do país.

O plebiscito será levado ao povo paraense devido à insatisfação da população destas regiões quanto à dificuldade da chegada de recursos e assistência pública, que tem se tornado um problema para a população que se encontra com péssimo serviço de saúde, educação, saneamento básico.

Por outro lado, há o debate de que a solução deste problema não seria solucionada com a divisão do Estado do Pará, tratando-se, portanto, de um problema administrativo de repasse de verbas e incentivos.

Se levados a cabo, tais projetos reduziriam o Estado do Pará a 22% da sua área atual, conservando 71% de sua população atual de cerca de 7,5 milhões de habitantes. Carajás somaria uma população de aproximadamente 1,5 milhão de pessoas e com 23% da área que é hoje o estado do Pará, enquanto Tapajós preservaria 16% da atual área e pouco mais de 800 mil habitantes.

Fonte: UAP Oficial

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=163870&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br