21/11/2012 12:00 am

UNE reforça luta por cotas raciais na Semana da Consciência Negra

UNE reforça luta por cotas raciais na Semana da Consciência Negra

 

Por ocasião do Dia da Consciência Negra, na terça-feira (20), a União Nacional dos Estudantes (UNE) publicou, em sua página na internet, nota em homenagem à Zumbi dos Palmares.´Durante toda esta semana, o movimento negro comemora a chamada Semana da Consciência Negra. Confira a nota do movimento estudantil, abaixo.

 

Nota da UNE pela Semana da Consciência Negra e o 20 de Novembro

Hoje, dia 20 de novembro, celebramos o Dia Nacional da Consciência Negra, em homenagem à morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares. Relembrar a resistência à escravidão do povo negro e refletir sobre a presença do racismo na sociedade brasileira é tomar consciência da luta histórica por liberdade e justiça e auferir os desafios para uma sociedade melhor e igualitária.

O racismo é uma ideologia estruturante, justificadora de privilégios que se dão pela opressão de determinado segmento étnico por outro. Hoje, ainda 70% dos mais pobres são negros e três a cada quatro brasileiros pertencentes aos 10% mais ricos são brancos. As mulheres negras são as que recebem os piores salários e as que mais sofrem com o machismo e racismo. Vivemos uma guerra quase que silenciosa, que extermina a juventude negra, vitimada pela violência e o racismo institucional, mecanismos perversos de manutenção de hegemonia. Tais mecanismos são responsáveis pela concentração de poder politico e econômico a uma elite, resultando no afastamento da população negra dos eixos de desenvolvimento e oportunidades e na violação de seus direitos.

 

Reconhecer o processo de escravidão e de segregação estendido após a abolição, permite criar condições para que o Estado e os governos possam desenvolver ações de reparação e promoção da igualdade racial. Nesse sentido, a mobilização construída pelo conjunto dos movimentos negro e sociais avança, promovendo o reconhecimento da divida histórica do Estado brasileiro com o povo negro. A valorização da cultura negra e o combate ao racismo empreendido diariamente por esses movimentos culminam na Semana da Consciência Negra, que tem por apogeu o dia 20 de novembro.

 

Promoção da Igualdade Racial na Educação Superior pública

 

Dentre os avanços cravados pelas políticas educacionais no ensino superior, destacam-se as Ações Afirmativas. Depois de mais de uma década implementação das cotas raciais, hoje temos mais de 100 universidades entre estatuais e federais onde foram criadas condições para que milhares de estudantes negros e negras ingressassem no ensino superior. A confirmação da constitucionalidade das ações afirmativas pelo STF e a recente aprovação da Lei de Cotas (lei 12.711-2012), que destina 50% das vagas em universidades federais para estudantes oriundos de escolas públicas, com recorte social e racial, representam um marco legal e o maior aprofundamento na democratização do ensino superior público ao reservar 56 mil vagas a serem disponibilizadas após quatro anos da vigência da lei.

 

A democratização da universidade vem acompanhada da necessidade de ampliação e melhoria dos investimentos em permanência. A UNE defende um piso de R$ 750 mi na assistência estudantil para 2013 e luta para que possamos superar R$ 2 bilhões, garantido ampliação necessária de recursos para a reforma e construção de moradias estudantis e restaurantes universitários, assim como o aumento do numero e o valor das bolsas de permanência e de mérito acadêmico. Como outro desafio, temos ainda a garantia de acesso dos/as estudantes negros/as em todos os espaços acadêmicos, como a pesquisa e pós-graduação.

 

O IV Encontro Nacional de Estudantes Negros e Negras e Cotistas da UNE – ENUNE, fórum permanente de auto-organização de negros e negras da entidade, será lançado entre os dias 18 e 21 de janeiro, durante o Congresso de Entidades de Base – CONEB da UNE, na cidade de Recife.

 

Lutamos por uma sociedade multiétnica, livre do racismo, do machismo, e da homofobia. Reafirmamos nosso compromisso com a construção de uma universidade e uma educação socialmente referenciada, anti-racista, plural e popular.

 

Frente a esses grandes desafios e às profundas desigualdades raciais a serem superadas, a União Nacional dos Estudantes não festeja o 20 de novembro, mas celebra a luta e a historia de Zumbi e todo o povo negro brasileiro.

 

Valeu Zumbi!

 

União Nacional dos Estudantes

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=199305&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br