11/11/2010 12:00 am

TUMULTO NO CENTRO DE SAÚDE TRÊS PODERES EXPÕE SERVIÇO COM FALHAS NO ATENDIMENTO

TUMULTO NO CENTRO DE SAÚDE TRÊS PODERES EXPÕE SERVIÇO COM FALHAS NO ATENDIMENTO

A deficiência no atendimento ao público para a emissão de autorizações de exames e consultas médicas voltou a ser motivo de críticas por usuários do Centro de Saúde Três Poderes, em Imperatriz.

Há denúncias de pessoas que esperam há quatro meses para aprovar (carimbar) um exame. Todas as vezes que compareceram ao posto foram orientadas a voltar no mês seguinte.

As denúncias são constantes, mas a situação mais crítica se deu na segunda-feira (8) quando um tumulto se formou nas dependências do posto, depois que cerca de 1.500 pessoas que se encontravam à espera de atendimento se revoltaram na unidade de saúde. A Polícia Militar (PM) foi chamada para tentar controlar a situação.

A dona-de-casa Rosa Carvalho Santos era uma das mais revoltadas com a situação. Ela reclamou que, desde junho, procura, sem sucesso, o posto para autorizar uma ultrassonografia para sua irmã Maria Pereira Brito, de 60 anos.

Todas as vezes até a segunda-feira ela, quando finalmente conseguia ser atendida, após enfrentar longa fila, recebeu a informação para voltar no mês seguinte. No dia do tumulto, ela chegou ao posto por volta das 7h e até as 16h ainda não havia sido atendida.

Desorganização – O comerciante Eugênio Andrade reclamou da falta de organização das filas. Sem guardas, há muitos “furões”, sem falar nas pessoas consideradas de atendimento prioritário, como mulheres grávidas, pessoas portadoras de deficiência física (cadeirantes) e idosos.

Eugênio Andrade se queixou ainda dos servidores que chegam ao posto às 7h, vão para o almoço às 11h e só retornam às 14h, enquanto dezenas de pessoas que chegaram ao posto antes das 7h são obrigadas a aguardar no local, mesmo sem qualquer perspectiva de atendimento. O comerciante defende que o atendimento seja em horário integral.

Há outro problema no Centro de Saúde Três Poderes: a redução de emissão de autorizações de exames por dia. Recentemente esse serviço chegou a ser suspenso.

O aposentado Francisco de Assis Valentim, de 71 anos, residente no bairro Santa Rita, também procurou o posto de saúde quatro vezes, a mais recente na segunda-feira, a fim de obter a autorização para um exame cardiológico para a mulher dele, de 68 anos. Apesar da insistência, ele também não havia conseguido atendimento até o tumulto começar.

“Trabalhei por 28 anos ajudando essa cidade, agora, quando preciso de um exame para minha mulher, não consigo”, reclamou, lembrando que nas três vezes anteriores recebeu do funcionário apenas a orientação para voltar depois, sem explicar ao certo o motivo da não disponibilidade do exame.

O aposentado lembrou ainda que estava dentro do posto, a poucos metros do setor de atendimento, quando um servidor municipal o pegou pelo ombro e o pôs para fora do local.

“Quando a gente denuncia, dizem que é intriga da oposição, mas não. Tem idoso, gestante, que chega 6h e não é atendido”, reclamou o professor Severino Bonfim, que convidou a secretária de Saúde para ver de perto a situação.

O professor ressaltou que, em um período de 16 anos, incluindo o período de campanha política, o prefeito Sebastião Madeira pregou que iria adotar um sistema de marcação de consultas e exames que acabaria com as filas no Centro de Saúde Três Poderes, promessa não cumprida até agora.

Bonfim estava na fila na tentativa de conseguir autorização para exame de tomografia do braço direito com suspeitas de fratura.

Ouvido por O Estado, um funcionário que estava controlando o acesso de pessoas aos servidores que faziam o atendimento no posto disse que o grande número de pessoas era em função da autorização para exames ter sido suspensa e somente naquele dia estava voltando a ser oferecida.

O servidor disse que, a partir da próxima semana, a Secretaria Municipal de Saúde pretende descentralizar o atendimento de consultas e exames nos postos de saúde situados nos bairros.

Fonte: O Estado do Maranhão

FONTE: http://www.portaldomaranhao.com.br/2007/?pg=ler&id=22006

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br