16/09/2011 12:00 am

Trabalhadores rurais questionam demissões na Bahia

Na manhã de hoje (15), o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Água Fria (STTR) foi informado de que 30 trabalhadores da VKR Matrizes e Aves foram demitidos em represália à paralisação das atividades, nos dias 13 e 14 de setembro, para exigir respeito aos direitos trabalhistas e respostas às pautas de reivindicações da categoria, entregues na data-base, em maio de 2010 e 2011. Para discutir a situação, a STTR se reúne com trabalhadores durante a tarde de hoje.


Em assembléia, cerca de 120 trabalhadores e trabalhadoras da empresa, localizada no município de Água Fria, região de Feira de Santana, organizados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado da Bahia (FETAGBA) e pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais decidiram cruzar os braços para exigir direitos trabalhistas que não são respeitados pelos proprietários da empresa, bem como respostas às pautas de reivindicações apresentadas.

Empresa não responde

Cansados de esperar pelo descaso dos patrões, que sequer respondem às reivindicações da categoria, encaminhadas oficialmente pelo STTR há dois anos, 2010 e 2011, na época da data-base, resolveram parar de trabalhar e deflagrar esse processo de pressão e mobilização, considerando ser essa a única forma da empresa ouvir suas reivindicações e respeitar seus diretos. 

Segundo Renilda Santos, presidente do sindicato, foram muitas as tentativas de negociação, sem respostas: “agora, de forma truculenta, a direção da empresa responde com demissão, provando, mais uma vez, a forma desrespeitosa como trata os trabalhadores, e como não atende e ainda debocha da legislação trabalhista do País, que prevê negociações coletivas todo ano na data-base das categorias. Vamos tomar todas as providências legais para barrar este absurdo, solicitar a intervenção do Ministério do Trabalho, através da Superintendência Regional do Trabalho, antiga DRT, e continuar a mobilização para garantir respeito e direitos.”

Entre as principais reivindicações para que seja realizado o acordo, estão elementos básicos para que possam de fato ter condições de trabalho, bem como uma melhor qualidade de vida. O pagamento do salário unificado no valor de R$ 600,00, cesta básica no valor de R$ 50,00, água potável e gelada no local de trabalho, reforço alimentar, plano de saúde para todos, utilização de uniformes, bem como outros tópicos que são considerados como fatores essenciais para a realização de um trabalho decente, como preconiza o Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O movimento de paralisação foi coordenado pelos representantes dos trabalhadores, Inácio Ribeiro, secretário de Trabalhadores Assalariados Rurais da FETAG-BA, e Sueli Azevedo, tesoureira do STTR de Água Fria. Inácio Ribeiro afirmou que a Federação e o Sindicato farão gestões junto às autoridades constituídas à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Regional Bahia, bem como denunciará à sociedade baiana como a VKR trata de forma desumana seus funcionários, com todo tipo de desrespeito aos direitos básicos e mínimos de condições de trabalho e reconhecimento. Para ele, “já estava na hora dos trabalhadores e trabalhadoras da VKR paralisarem suas atividades para demonstrar o alto nível de sua insatisfação. Com esta organização, estão dispostos, se necessário, a irem à greve geral, exigindo seus direitos trabalhistas.” Concluiu.

Kardé Mourão, Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Água Fria (STTR)

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=164066&id_secao=1

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br