18/09/2012 12:00 am

Trabalhadores farão ato público no Congresso em defesa da CLT

Trabalhadores farão ato público no Congresso em defesa da CLT

 

O Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST) decidiu promover um ato público no Congresso Nacional em defesa do movimento sindical e da garantia dos direitos sociais. A previsão é que o evento seja realizado no dia 20 de novembro, no auditório do Senado. O coordenador nacional do FST, Lourenço Ferreira Prado, explica que a iniciativa quer sensibilizar os parlamentares sobre as necessidades dos trabalhadores e combater projetos de lei que flexibilizam as condições de trabalho.

 

Ele cita como exemplos de projetos que ameaçam os direitos dos trabalhadores e interferem na organização sindical o do Acordo Coletivo Especial (anteprojeto de lei encaminhado ao Congresso pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) e as Portarias 186 e 982 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que tratam do registro e da contribuição sindical, respectivamente.

 

“Também combatemos medidas que são contrárias aos interesses dos trabalhadores e da estrutura sindical, como a PEC 369, que altera o artigo 8º da Constituição e permite a pluralidade e extinguir a contribuição sindical”, comenta.

 

“Fizemos uma avaliação dos trabalhos desenvolvidos, principalmente nos estados, e estamos programando um grande ato que vai ter como objetivo envolver os parlamentares nos problemas do movimento sindical e da necessidade de fortalecimento da estrutura do MTE. É de fundamental importância fortalecer essa estrutura não só na capital federal, mas no interior do país, para destinar fiscais do trabalho suficientes para fiscalizar as empresas”, explica Artur Bueno de Camargo, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA).

 

“O FST tem a preocupação de fortalecer o movimento sindical para que, desta forma, possa representar melhor os trabalhadores e fazer discussões e negociações coletivas que reflitam no avanço dos benefícios aos trabalhadores sem perder a garantia dos direitos já conquistados”, disse ainda Camargo, que é também coordenador do FST.

 

Já Luiz Gonzaga de Negreiros, diretor de Mobilização e Propaganda da Confederação Nacional dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), destaca a necessidade de fortalecer a união dos trabalhadores para dar força à luta dos interesses da classe trabalhista e do movimento sindical.

 

“Chegou o tempo dos trabalhadores novamente darem as mãos, buscarem suas entidades representativas, para que a gente possa avançar e conquistar, que é o momento de colocarmos um Brasil social dentro de uma realidade, com distribuição de renda com emprego de qualidade. Estamos justamente buscando esse espeço e esse meio e esse momento, e com certeza iremos alcançar e consolidar nosso Brasil.”, diz.

 

Da Redação em Brasília

Com informações da FST

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=194065&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br