20/01/2011 12:00 am

TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO CONCURSADOS SE MOBILIZAM E COBRAM DO GOVERNO NOMEAÇÃO IMEDIATA

TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO CONCURSADOS SE MOBILIZAM E COBRAM DO GOVERNO NOMEAÇÃO IMEDIATA

 

A direção do SINPROESEMMA deu início na manhã desta terça -feira (18), na sede da entidade, a uma campanha de mobilização dos trabalhadores em educação habilitados e que se encontram excedentes do último concurso público (2009) realizado pelo governo do Estado, direcionado para o provimento de cargo de professores.

Na reunião foram discutidas as condições em que se encontram os educadores, a prorrogação do contrato para os seletivados e as atividades que serão desenvolvidas nos próximos dias, cujo intuito é chamar a atenção da sociedade e do governo para essa problemática que aflige os trabalhadores em questão.

Depois de ouvir depoimentos de educadores de diversas localidades do Estado, o grupo seguiu até a sede do Jornal Pequeno, para denunciar por meio de reportagem, as condições com que são tratados pelo governo estadual, os trabalhadores emeducação. Em seguida, a equipe participou de uma reunião na sede das Promotorias, (Cohama), com o promotor de educação Paulo Avelar.

Contratos temporários

Na presença do promotor e de inúmeros trabalhadores, o presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro discorreu sobre o assunto e pediu providências o mais urgente possível, já que o governo do Estado deixou de convocar os excedentes para em vez disso, prorrogar por mais dois anos, os contratos temporários pagando salários abaixo da média e sem direitos trabalhistas.

Outra preocupação recorrente, exposta pelo dirigente sindical, é com a complementação do número de professores em sala – principalmente no interior do Estado, quando professores de formação diferenciada passa a dar aulas que não atende a sua formação específica, comprometendo, segundo o sindicalista, a qualidade do aprendizado do aluno.

“O motivo da reunião é construir a mobilização dos trabalhadores excedentes do último concurso e chamar a atenção para a gravidade da carência de profissionais atuando na rede pública, quando faltam hoje aproximadamente 14 mil deles em sala de aula”, declarou Pinheiro, ao tempo que ressalta a preocupação do SINPROESEMMA, com a nomeação imediata de professores concursados e excedentes, como também a abertura de novas vagas para contemplar os excedentes.

“Além das ações desenvolvidas hoje, envolvendo educadores prejudicados com o processo, teremos ainda atividade de rua na próxima quinta-feira, (19), na Praça Deodoro a partir das oito e meia (8h30), com ato público e passeata nas principais ruas da cidade”, informou o presidente.

Ação Judicial

Por sua vez, o promotor Paulo Avelar disse estar preparando uma ação judicial, cujo objetivo é fazer com que o Governo reverta o quadro atual, criando os cargos necessários para acolher a todos os excedentes.

“A posição do MP é que os profissionais habilitados devam ser chamados na medida da disponibilidade dos cargos. O que está ocorrendo é que o governo do Estado não está nomeando os excedentes, mas, por outro lado está contratando professores não formados para estes cargos. A gente entende que essa é uma prática ilegal, por que a questão da temporalidade é relativo à excepcionalidade”, declarou.

Ele garante entrar ainda esta semana ou no mais tardar na próxima, com o pedido de tutela no sentido de que o governo não convoque para cargos temporários nenhum trabalhador não concursado, na medida em que existam os cargos públicos definitivos.

 

FONTE: http://www.sinproesemma.org.br/2011/1/19/trabalhadores-em-educacao-concursados-se-mobilizam-e-cobram-do-governo-nomeacao-2130.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br