11/09/2012 12:00 am

Trabalhadores dos Correios podem entrar em greve no dia 19 de setembro

Trabalhadores dos Correios podem entrar em greve no dia 19 de setembro

 

Os trabalhadores dos Correios, em assembleias realizadas nesta segunda-feira (10), rejeitaram a proposta apresentada pela empresa de reajuste de 5,2%. A categoria encaminhou uma nova assembleia para o dia 18 de setembro com indicativo de greve para a zero hora do dia 19. Dos 35 sindicatos que representam os trabalhadores ao menos 15 realizaram assembleias e rejeitaram a proposta, os demais ainda irão realizar assembleias nesta terça-feira (11) e um setor minoritário fará assembleia somente no dia 25 de setembro.

 

Minas Gerais, que também realizou assembleia ontem, decidiu pela deflagração da greve a partir desta terça. No Pará, a categoria aprovou uma greve de 24 horas para hoje e decide se continua parada em assembleia que ocorre nesta terça.

 

Também nesta terça-feira (11), ocorrem as assembleias dos Sindicatos do Rio de Janeiro e São Paulo.

 

Segundo o membro da Oposição da CSP-Conlutas à FENTECT (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), Geraldo Rodrigues, o Geraldinho, os trabalhadores reivindicam a reposição das perdas salariais e são contra a tentativa de mudanças no convênio médico.  “Sabemos que essa política do governo Dilma é para fortalecer o processo de privatização que começou nos correios com aprovação da mudança do estatuto e da MP-532. Para isso, ela pretende não dar aumento real de salário e atacar o plano de correios saúde”, explica.

 

Geraldinho informa que a CSP-Conlutas irá defender nas assembleias a unidade da categoria com mesa única e calendário pauta unificada.

 

“Estamos fazendo um chamado para uma plenária com todos os sindicatos para o dia 13 e um chamado pela unidade dos 35 sindicatos dos trabalhadores do Correios ”, ressalta.

 

Ainda segundo Geraldinho, existe uma crise na direção do movimento sindical que só contribui para a divisão do movimento nos correios. “De um lado a CTB, que rompeu com a FENTECT, mas como continua sendo governista, busca poupar o governo e impedir que a categoria faça greve”, denuncia, acrescentando que sem discutir com a categoria as direções dos Sindicatos de SP e RJ, ligados à CTB, protocolaram uma contra proposta rebaixando a pauta dos trabalhadores. “A empresa respondeu com outra proposta rebaixada. Isso não ajudou em nada os trabalhadores”, lamenta o dirigente.

 

Geraldinho diz ainda que a Articulação/CUT (minoria da FENTECT) cujo bloco é composto por 14 sindicatos, também quer “salvar a pele do governo” e, se aproveitando da crise dentro da federação, tirou como política fazer assembleia de greve só no dia 25/09. “Toda essa confusão tem o objetivo de ajudar na desmobilização, numa nítida combinação para que não aconteça a greve e os trabalhadores se enfrentem mais uma vez com o governo. Com esta postura, tanto da CTB como da Articulação/CUT, fica explicito que ambas tem o mesmo objetivo, que é ajudar o governo e a direção da empresa”, frisa.

 

Os trabalhadores dos Correios reivindicam 33% de reajuste, referentes às perdas salariais dos últimos 12 anos, 10% de aumento real, R$ 200 de aumento linear para todos, entre outras demandas.

 

“Fazemos um chamado a todas as correntes políticas que atuam na categoria e todos os sindicatos para pararem de brigar. Vamos construir a unificação da campanha salarial para que possamos fazer uma greve forte e sairmos vitoriosos. Chega de divisionismo na nossa campanha”, finaliza Geraldinho.

http://cspconlutas.org.br/2012/09/trabalhadores-dos-correios-podem-entrar-em-greve-no-dia-19-de-setembro/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br