10/02/2011 12:00 am

TRABALHADORES DE APICUM-AÇU DENUNCIAM IRREGULARIDADES NA EDUCAÇÃO

TRABALHADORES DE APICUM-AÇU DENUNCIAM IRREGULARIDADES NA EDUCAÇÃO

 

Os diretores do Sinproesemma, Júlio Guterres (Comunicação) e José dos Santos Brússio (Formação Sindical) receberam várias denúncias de trabalhadores da educação do município de Apicum-Açu, no litoral maranhense, durante assembléia geral da categoria, realizada na cidade, na última terça-feira, dia 2.

Entre as denúncias, destacam-se o não cumprimento do Plano de Cargo, Carreira e Salário dos educadores, que apesar de existir legalmente, não foi efetivado pela prefeitura; atrasos nos pagamentos dos salários; número de profissionais contratados maior que o de efetivos e situação de precariedade em locais de trabalho. Além disso, os professores denunciaram também que não recebem contracheques e que os contratados não têm acesso ao conteúdo dos contratos firmados com a prefeitura.

A denúncia dos professores de precariedade em ambiente escolar refere-se à situação de duas escolas que funcionam em péssimas condições em uma pousada alugada, onde, inclusive, foi realizada a assembléia da categoria.

Os educadores denunciaram que as aulas são prejudicadas pelas condições insalubres do prédio, cuja construção ainda está inacabada. “As condições de higiene e de estrutura são as piores possíveis”, constatou Júlio Guterres.


Filiação à CTB

Os educadores municipais são representados pelo Sindicato dos Servidores da Educação do Município de Apicum-Açu (Sinpropma). Durante a assembléia, os diretores do Sinproesemma ressaltaram a importante atuação da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) em prol dos sindicatos brasileiros e propuseram aos educadores de Apicum que o Sinpropma se associe à entidade nacional. A proposta de filiação foi aprovada por unanimidade.

A assembléia da categoria foi coordenada pelas professoras Lucidalva Lopes e Claudenir Pereira, respectivamente secretária geral e presidente do sindicato municipal, e articulada pelo representante do Sinproesemma em Apicum, professor Neil Wagner, que também é vereador do município.

 

 

Salas insuficientes

Antes da assembléia com os professores do município, os dirigentes do Sinproesemma reuniram-se com trabalhadores do Estado na Escola Estadual Amado Joaquim, onde também receberam várias denúncias.

Os educadores estaduais denunciaram que nesta escola funcionam 20 turmas de ensino médio, diariamente, em apenas quatro salas de aula. Além da grande demanda de alunos para uma estrutura insuficiente, os profissionais também denunciaram as condições inadequadas das salas de aula, que oferecem risco à saúde de alunos e professores.

Diante da situação de total desconforto, a direção da escola sugere que o governo do Estado utilize um terreno desocupado, de grandes dimensões, que faz parte da área da escola, para ampliar o prédio com a construção de novas salas e, assim, garantir melhores condições de trabalho para os educadores e melhor rendimento escolar para os alunos.

 

 Texto: Cláudia Leal

Ascom/Sinproesemma

 

FONTE: http://www.sinproesemma.org.br/2011/2/3/trabalhadores-de-apicum-acu-denunciam-irregularidades-na-educacao-2176.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br