28/11/2012 12:00 am

Trabalhadores da Saúde de Santa Catarina em greve, que tentavam audiência pública com o governo,

Trabalhadores da Saúde de Santa Catarina em greve, que tentavam audiência pública com o governo, são recebidos com spray de pimenta

A luta dos trabalhadores da Saúde de Santa Catarina para defender direitos adquiridos e condições de trabalho foi brutalmente desrespeita nesta segunda-feira (26). Os profissionais foram até o Palácio do Governo, cobrar um pedido de audiência pública, feito no início de novembro. Entretanto, foram recebidos com truculência e impedidos de entrar no local. Gás de pimenta foi usado contra os grevistas durante a ação.

 

Uma assembleia geral ampliada em defesa da saúde pública foi convocada para esta quarta-feira (28), na Praça Tacredo Neves, contra o descaso do governo com a saúde pública de Santa Catarina.

 

Os trabalhadores da Saúde de Santa Catarina, base do Sindsaúde, em greve desde 23/10, enfrentam a truculência do governo. Esses profissionais reivindicam  a manutenção dos valores salariais enquanto durar a negociação; a Gratificação por Atividade de Saúde (GAS) aos da Secretaria de Estado da Saúde, a manutenção da reposição de novos funcionários para abertura dos leitos nos hospitais da Secretaria; a ampliação dos serviços e melhoria da qualidade para a população; além da reposição de materiais e medicamentos para melhoria do atendimento à população.

 

Segue, abaixo, moção de repúdio:

 

Moção de Repúdio

 

A luta dos trabalhadores da Saúde para defender direitos adquiridos e condições de trabalho tem que ser respeitada. A repressão ocorrida no dia 26, no centro administrativo, contra as entidades que foram buscar diálogo é inadmissível e tem todo o nosso repúdio.

 

Há mais de 30 dias o impasse está colocado. A população catarinense sofre com a política de descasos do governo que está sucateando o máximo os serviços para privatizar através das Organizações Sociais.

 

O povo paga impostos merece que o direito de ter acesso aos serviços de saúde pública e de qualidade seja garantido.

 

Os ataques ao movimento não cessaram. Diretores de algumas unidades registraram Boletins de Ocorrência contra servidores em greve. Estes foram convocados para dar depoimento na Delegacia de Polícia por omissão de socorro.

 

A prática de criminalização que está sendo implantada pelo governador Raimundo Colombo (PSD), com boletins de ocorrências individuais e ameaças, é terrorismo.

 

Exigimos negociação imediatamente, fim das punições e respeito às pessoas.

 

Enviar para:

Sec Saude: Dalmo Claro de Oliveira – secretario@saude.sc.gov.br

Coordenador da CONER: Decio Vargas – coner@sea.sc.gov.br

Presidente da ALESC: Dep Gelson Merisio – merisio@alesc.sc.gov.br

Lideranças dos Partidos na ALESC:

PMDB – Aldo Schneider – aldoschneider@alesc.sc.gov.br; deputadoaldo@gmail.com

PSD – Darci de Matos – darcidematos@alesc.sc.gov.br

PT – Dircei Dresch – dirceu@dirceudresch.com.br

PC do B – Angela Albino – angela@alesc.sc.gov.br

PP – Silvio Dreveck – silviodreveck@alesc.sc.gov.br

PSDB – Doia Guglielmi – doiaguglielmi@alesc.sc.gov.br

PDT – Sargento Soares – sargentosoares@alesc.sc.gov.br

PPS – Sandro Silva – sandrosilva@alesc.sc.gov.br

PTB – Narciso Parisotto – parisotto@alesc.sc.gov.br

 Procurador-Geral de Justiça – Lio Marcos Marin – pgj@mp.sc.gov.br

casa militar-scm@casamilitar.sc.gov.br

http://cspconlutas.org.br/2012/11/trabalhadores-da-saude-de-santa-catarina-em-greve-que-tentavam-audiencia-publica-com-o-governo-sao-recebidos-com-spray-de-pimenta/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br