14/08/2012 12:00 am

Tensão social: Jovens confrontam polícia na França

Tensão social: Jovens confrontam polícia na França

 

A cidade de Amiens, na França, foi palco na segunda (13) de confrontos entre jovens e a polícia. O incidente deixou um rasto de destruição, com carros queimados e uma escola e um centro desportivo danificados. O ocorrido faz reavivar o receio da repetição de movimentos de violência urbana que aconteceram, no país, em 2005 e, na Inglaterra, no ano passado. Por trás dos tumultos, estavam a crescente tensão social e as dificuldades econômicas a que parte da população está submetida.

O conflito ocorreu após duas noites de escalada da violência, aparentemente provocadas por tensões devido às revistas aleatórias de moradores. No domingo, a polícia mandou parar um motorista, supostamente por condução perigosa, e o deteve. A população considerou a ação policial excessiva. Ali perto estava acontecendo o velório de um jovem de 20 anos, que tinha morrido na quinta-feira num acidente de moto.

 

Autoridades informaram que, no conflito desta segunda, ao menos 16 policias ficaram feridos. Nada se falou sobre os danos nos jovens. A zona onde aconteceram estes confrontos, no norte de Amiens, é uma das 15 “áreas de segurança prioritária” definidas pelo Governo, que vão ser alvo a partir de setembro de um plano especial de segurança.

 

Falando durante uma visita ao sudeste do país, Hollande disse que o Estado irá “mobilizar todos os seus recursos para combater essa violência”, que abalou bairros desfavorecidos de grandes cidades francesas em intervalos regulares.

 

“Recursos de segurança têm, infelizmente, diminuído há muitos anos”, disse Hollande. “Nossa prioridade é a segurança, o que significa que o próximo orçamento vai incluir recursos adicionais para a polícia.”

 

As tensões continuaram altas em bairros desfavorecidos da França, onde a baixa perspectiva de emprego, a discriminação racial, o senso generalizado de alienação da maioria da sociedade e a percepção de hostilidade da polícia têm frequentemente contribuído para o aumento da violência.

 

Semanas de tumultos em 2005, a pior agitação urbana na França em 40 anos, levou à imposição de um estado de emergência pelo então governo de centro-direita. A morte de dois jovens atingidos por um carro de polícia provocou mais violência em 2007. E as agitações continuaram em 2010, quanto a polícia atirou e matou um jovem que havia assaltado um cassino. Ou seja, as ondas de violência costumam acontecer como uma reação, uma espécie de revolta popular.

 

O presidente da Câmara de Amiens disse que há muito alertava para possibilidade de uma situação deste tipo. “Há meses que a situação se arrastava. Receava que houvesse incidentes mais graves, como foi o caso. Há meses que receava, porque a tensão estava a aumentar”, afirmou o socialista Gilles Demailly, que fala num “cenário de desolação” no local.

 

Com agências

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=191154&id_secao=9

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br