13/09/2012 12:00 am

Sindicatos gregos convocam nova jornada de greve geral

Sindicatos gregos convocam nova jornada de greve geral

 

As principais centrais sindicais do país, a Confederação Geral dos Trabalhadores da Grécia (GSEE) e a Confederação de Funcionários Públicos (ADEDY), anunciaram nesta quinta-feira (13) a convocação de uma jornada de greve geral contra os novos cortes propostos pelo executivo.

 

Assim, no próximo 26 de setembro os trabalhadores gregos estão convocados para se manifestar contra “as políticas de empobrecimento que levaram a um aumento dramático do desemprego e que empurram a economia do país a um beco sem saída”, anunciou em um comunicado a GSEE.

 

No mesmo documento, a maior organização sindical do setor privado mostrou seu repúdio categórico à regulação dos salários mínimos pelo executivo, à eliminação da negociação coletiva e ao aumento da idade de aposentadoria, como exigem os grupos financeiros, e o fim de todos os direitos trabalhistas.

 

ao mesmo tempo, a GSEE asseguorou que sua luta continuará com novas greves e outras ações até “anular as políticas neoliberais destrutivas e as medidas antioperárias e antissociais” que estão em debate e votação no parlamento.

 

Por sua vez, o ADEDY, principal sindicato do setor público, assegurou que a greve é uma resposta aos “cortes bárbaros de salários e aposentadorias, às demissões na administração pública, ao desmantelamento dos serviços e à demolição do Estado de Bem-estar”.

 

Agregou também que o objetivo das medidas exigidas por Bruxelas suporiam “a transformação do país em uma zona barata e sem direitos trabalhistas”, e que a luta contínua dos trabalhadores é uma batalha “não só (por) nossos direitos mas também pelos da próxima geração”.

 

Não podemos aceitar nenhuma medida a mais de austeridade”, disse aos meios de comunicação Ilias Iliopoulos, secretário-geral da ADEDY.

 

Esta será a primeira greve geral em todo o país desde que a coalizão liderada pelo primeiro ministro conservador Antonis Samarás assumiu o cargo em junho passado, com o mandato de manter a Grécia na zona do euro e distender as políticas de ajuste incluídas no memorando de empréstimos.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=193703&id_secao=9

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br