3/10/2011 12:00 am

SES investiga casos de leptospirose em Codó

Das 78 amostras de sangue coletadas para diagnóstico da leptospirose, no povoado de Canto do Coxo, em Codó, duas tiveram resultado positivo. A informação foi prestada, nesta quinta-feira (29), pelo secretário-adjunto de Vigilância em Saúde, Alberto Carneiro, ao conceder entrevista coletiva sobre o surto que vem sendo investigado e acompanhado por equipes das Vigilâncias Epidemiológica, Sanitária e Ambiental, em conjunto com as autoridades de saúde e de agricultura daquele município.

Alberto Carneiro disse ainda, que o único caso de óbito que está sendo associado à doença tem confirmação apenas clínica. A amostra do sangue da jovem de 22 anos, que morreu no dia 16 de agosto, foi submetida à análise por um laboratório particular, o que não obedece ao protocolo do Ministério da Saúde no caso de confirmação de óbito pela leptospirose.

“Todas essas amostras estão sendo analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e estamos aguardando os resultados. O que posso adiantar é que os moradores, com suspeita da doença, estão sendo acompanhados. Os dois casos confirmados já receberam tratamento e passam bem”, afirmou ele, tranquilizando a população local. “Cerca de 90% dos casos de leptospirose têm evolução benigna, ou seja, após iniciar o tratamento, os pacientes se recuperam logo. Estamos mais atentos em relação à ocorrência de novos casos”, afirmou Alberto Carneiro.

A leptospirose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria presente na urina do rato. Os sintomas mais comuns são febre alta e dores no corpo, podendo ocorrer também icterícia (coloração amarelada da pele).

Cerca de 100 famílias residem no povoado Canto do Coxo, localizado às margens da BR-316, a 42 km da sede de Codó. Trata-se de uma comunidade rural, que foi contemplada com recursos do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf) para investir na plantação de arroz. Segundo levantamento realizado pelos técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a leptospira para os casos já confirmados seria proveniente da urina dos ratos excretada sobre o arroz armazenado, uma vez que o contágio se dá pelo contato direto da urina com a pele humana.

Por conta disso, uma equipe da Vigilância Sanitária Estadual foi deslocada, quinta-feira (28), para Codó com o objetivo de tomar todas as providências relacionadas à destruição das 16 toneladas de arroz armazenadas. “Para destruir esse estoque, será necessário o envolvimento também da Prefeitura para garantir a destinação final adequada ao arroz, impróprio ao consumo humano e animal. Além disso, nesses casos, é preciso a intervenção das secretarias e órgãos sociais para de alguma forma amparar estas famílias, que sobrevivem deste cultivo”, destacou Alberto Carneiro.

O secretário-adjunto informou, ainda, que foram coletadas oito amostras de água, retiradas de fontes de abastecimento diferentes, como é o caso dos poços artesianos, e cacimbões, além do rio, para investigar contaminação. Os locais de descarte do lixo produzido pelo povoado também passou por uma investigação rigorosa das equipes da saúde.

Alberto Carneiro lembrou que está sendo realizado também um trabalho de orientação aos moradores de Canto do Coxo, onde estão sendo abordadas temáticas relacionadas à prevenção da leptospirose e armazenamento de alimentos.

 

FONTE: http://www.jornalpequeno.com.br/2011/9/30/ses-investiga-casos-de-leptospirose-em-codo-171938.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br