29/10/2010 12:00 am

SECA NO AMAZONAS PREJUDICA TRANSPORTE ESCOLAR DE MAIS DE 4 MIL ALUNOS

SECA NO AMAZONAS PREJUDICA TRANSPORTE ESCOLAR DE MAIS DE 4 MIL ALUNOS

Alunos têm de subir barranco de 15 metros em comunidade ribeirinha.
Rio Negro atingiu vazante recorde no último domingo (24).

Do Globo Amazônia, com informações do Globo Rural

No Amazonas, pelo menos 4 mil estudantes da zona rural estão sem aula por falta de transporte. Com a estiagem, os rios secaram e nem canoas conseguem passar.

 


Como a faixa de areia formada durante a vazante aumenta a cada dia na áreas com comunidades ribeirinhas próximas a Manaus, fica mais difícil caminhar até o barco.

Na comunidade São Pedro, no Rio Amazonas, alunos precisam subir um barranco com quase 15 metros de altura para chegar à escola. Os moradores construíram uma espécie de elevador para transportar as mercadorias do rio até a vila, mas as crianças precisam subir a pé.

 

Com a vazante recorde atingida pelo Rio Negro no último domingo (24), a situação ficou ainda mais complicada. Os barcos usados no transporte em comunidades ribeirinhas estão encalhados em praias de lama.

 

O transporte de mercadorias também foi prejudicado. Em afluentes do Rio Negro nem canoas conseguem navegar. Em algumas situações, o único jeito de seguir em frente é empurrando o barco.

 

“O meio de transporte é a canoa, barco ou rabeta. As crianças têm dificuldades nesse período porque não tem água”, diz Francimeira Maia, coordenadora das escolas de Manaus.

 

Das 50 escolas ribeirinhas de Manaus, metade teve as aulas suspensas na segunda semana de outubro. Lucas da Silva, de 9 anos, é uma das 4 mil crianças que estão sem aula. “Tem comunidade que nem canoa pode mais passar. Aí não dá para alguns alunos terem aula e outros não. Aí ficava difícil”, diz Sônia Monteiro, mãe de Lucas.

 

FONTE:http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1626939-16052,00.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br