17/04/2012 12:00 am

Reunião da Alba debate pobreza e desenvolvimento sustentável

Reunião da Alba debate pobreza e desenvolvimento sustentável

 

Representantes dos países da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA) reuniram-se nesta terça-feira (17) em La Paz, na Bolívia, para debater temas relacionados à agenda da Cúpula Rio+20, prevista para ser realizada no Rio de Janeiro em junho próximo.

 

Os delegados discutiram sobre desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza, questões que serão analisadas no Rio de Janeiro, na cúpula programada de 17 a 23 de junho.

 

Segundo René Orellana, coordenador da reunião, os temas fazem parte da agenda da referida reunião, na qual é esperada a presença de centenas de chefes de Estado ou de Governo.

 

Orellana adiantou que o evento marcará a orientação do financiamento mundial para o desenvolvimento e as decisões relativas ao papel dos organismos financeiros internacionais e as expectativas sobre o desenvolvimento e a erradicação da pobreza.

 

Por outro lado, Paul Hooks, secretário privado da presidência da Nicarágua para políticas nacionais, lembrou que a ALBA joga um papel muito importante nas negociações ambientais das Nações Unidas.

 

“As posições que os países da Alba adotam são pontos de referência para muitos outros e as soluções que têm são alternativas reais que já estão em execução”, sustentou Hooks.

 

Ao mesmo tempo, Pedro Pedroso, vice-diretor da Chancelaria de Cuba, destacou a importância que tem o desenvolvimento da Cúpula Rio+20 na região, no meio de múltiples crises.

 

Pedroso fez referência à crise global do capitalismo e como a América Latina e o Caribe contribuem com alternativas de desenvolvimento, baseadas na solidariedade e na inclusão, para tentar reduzir as diferenças que existem nas sociedades da região.

 

“Esse será um momento muito importante para reestabelecer as maneiras que percebemos os processos de desenvolvimento e para exigir os direitos soberanos dos povos a construir seu próprio futuro”, acrescentou.

 

Tarcicio Granizo, representante do Equador, sugeriu que como na Cúpula vai delinear quais são os caminhos a seguir para o desenvolvimento sustentável do planeta, “levamos propostas como o bom viver como o novo paradigma de desenvolvimento, direitos da natureza e os direitos da mãe terra”.

 

Granizo enfatizou que esta é uma proposta boliviana apoiada pelo Equador em diferentes foros internacionais.

 

A representante venezuelana Claudia Salermo, diretora de Organismos Internacionais do Ministério de Relações Exteriores, propôs mudar a frase que presidirá a Cúpula Rio+20. Ao invés de “do futuro que queremos”, para a frase “o futuro que precisamos”.

 

“A ALBA quer trabalhar idéias que possam contribuir para o futuro que precisa o planeta”.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=180978&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br