18/01/2011 12:00 am

RAPOSA SERÁ A PRIMEIRA CIDADE A RECEBER PROGRAMA CONTRA A DENGUE

RAPOSA SERÁ A PRIMEIRA CIDADE A RECEBER PROGRAMA CONTRA A DENGUE 

O município de Raposa, distante 30 km de São Luís, será alvo este mês de projeto inédito de controle da dengue no país. Desenvolvida pelo Governo do Maranhão a ação será lançada nesta quarta-feira (19), e tem como meta principal eliminar todos os focos do criadouro do mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue) na Raposa num prazo médio de seis meses.

O ato público de lançamento do projeto está marcado para as 9h, em frente à Prefeitura Municipal. O local será tomado por agentes de endemias, além dos comunitários de saúde (ACS), que farão parte do exército da saúde responsável por visitar os 10.600 domicílios situados na Raposa, distribuídos em 13 microzonas. O foco da campanha, porém, serão os chamados PEs – pontos estratégicos – para a proliferação dos criadouros do mosquito, entre eles, as borracharias, terrenos baldios e as oficinas mecânicas.

A experiência piloto foi batizada de “Índice Zero – Uma solução simples, eficaz e de baixo custo”. Segundo o coordenador do Programa de Controle da Dengue da SES e idealizador do projeto, José Batista da Silva, o trabalho já vem sendo executado desde o final do ano passado. As primeiras medidas foram de articulação e planejamento, com o monitoramento das medidas de prevenção e controle larvário que já fazem parte da rotina dos servidores do Programa Municipal de Controle da Dengue.

Foram mapeadas as áreas de depósito de lixo e os serviços de limpeza já começaram a ser realizados. José Batista diz que, depois do lançamento, as ações serão intensificadas e as metas acompanhadas de perto. Um dos pontos de mudanças é o tempo de visita aos domicílios. Hoje em cada ciclo, os agentes levam cerca de dois meses para retornar às casas. Com o projeto, esse período deverá cair para 20 dias úteis.  Para isso, foi montada uma força-tarefa com Agentes Comunitários de Saúde (ACS), numa integração entre o setor de epidemiologia e o da atenção básica.

O município mantém atualmente 25 servidores, entre agentes de endemia e supervisores. Com o projeto, as ações de controle ganharão o apoio de mais 25 pessoas e envolverá ainda a área de Educação e Comunicação em Saúde e setores de mobilização social do município. A SES também distribuirá cinco mil mantas para a cobertura de tanques e caixas d’água.    

De acordo com dados da SES, até o dia 31 de dezembro de 2010, o Maranhão havia notificado 6.333 casos, contra 2.783 de 2009. Na capital, foram 344 notificações ano passado e no município de Raposa, a estatística apontou 30 casos no mesmo período. 

DICAS:

– Não deixar a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas e etc.

– Manter fechadas as caixas d’água, poços e cisternas

– Não cultivar plantas em vasos com água. Usar terra ou areia nestes casos.

– Tratar as piscinas com cloro e fazendo a limpeza constante. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.

– Manter as calhas limpas e desentupidas

– Avisar um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença.

 

FONTE: http://www.oimparcialonline.com.br/noticias.php?id=70071

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br