4/11/2010 12:00 am

PRORROGADA A CPI DA PEDOFILIA

PRORROGADA A CPI DA PEDOFILIA 

Francisco Pianko, um dos principais acusados, deverá comparecer à tribuna na próxima semana

Leandro Chaves

A CPI da Pedofilia foi prorrogada por mais 30 dias.  O requerimento foi aprovado durante a sessão da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) realizada ontem.  As investigações acerca das denúncias contra o abuso sexual de crianças e adolescentes e a elaboração de um relatório final deverão ser concluídas até o dia 6 de dezembro.

Segundo o presidente da Aleac, deputado Edvaldo Magalhães (PC do B), a prorrogação da Comissão Parlamentar de Inquérito foi solicitada após a confirmação do comparecimento de Francisco PiankoAshaninka – assessor especial para assuntos indígenas do governo do Estado e um dos acusados de pedofilia.

De acordo com o presidente da comissão, LuisTchê (PDT), o indígena prestará seu depoimento no próximo dia 10.  “Tanto Francisco Pianko como os outros investigados irão se apresentar”, garantiu o parlamentar, que havia prometido rasgar seu diploma de deputado caso o Ashaninka não comparecesse às investigações.

“Passamos por uma eleição que atrapalhou o andamento dos serviços.  Por isso decidimos prorrogar o prazo para darmos continuidade aos trabalhos”, explica Tchê.  De acordo com o deputado, os próximos 30 dias serão dedicados tanto à conclusão das investigações como à elaboração e entrega do relatório final.

Dos 16 votos registrados na sessão de ontem, dois foram contrários à prorrogação da CPI da Pedofilia.  A deputada Idalina Onofre (PPS), responsável por um desses votos, afirmou que a sua decisão foi tomada por acreditar que “a comissão não vai mais avançar.  O que tinha de dar já deu e acho que Tchê vai precisar rasgar seu diploma”.

O segundo voto contrário foi declarado pelo deputado Nogueira Lima (DEM).  “Fomos contra as decisões de prorrogar a mesma CPI em tentativas anteriores.  Apenas mantemos a coerência”.  O democrata gostaria de ouvir Pianko, mas não acredita que o indígena comparecerá à tribuna.  “Acredito que Tchê vai rasgar mesmo o seu registro”.

Criada em maio de 2009, a CPI da Pedofilia já foi prorrogada outras duas vezes.  Em cada uma dessas ocasiões 120 dias de trabalho foram acrescentados às investigações.

FONTE: http://www.amazonia.org.br/noticias/noticia.cfm?id=370678

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br