22/11/2010 12:00 am

PROMOTORA ESTUDA PEDIR PRISÃO DE DIRETORES DA AMBEV POR CAUSA DE IMUNDÍCIE EM BEBIDAS

PROMOTORA ESTUDA PEDIR PRISÃO DE DIRETORES DA AMBEV POR CAUSA DE IMUNDÍCIE EM BEBIDAS

A promotora Lítia Cavalcante (Consumidor) afirmou quinta-feira ao blog estar estudando a possibilidade de pedir a prisão dos diretores da Ambev (Companhia de Bebidas das Américas) por conta do festival de imundícies encontrado em seus produtos.

A promotora diz não entender como uma multinacional do porte da Ambev, segunda maior companhia de bebidas do mundo, vem apresentando tantos problemas de impureza e corpos estranhos em suas bebidas.

Por conta da sujeira encontrada na Brahma, Skol e Antarctica, foram ajuizadas 12 ações contra a empresa no Maranhão. Laudos do Icrim (Instituto de Criminalística) comprovaram que além de objetos e todo tipo de porcaria, insetos como baratas habitavam o interior das garrafas. É o que este blog apelidou de Brahma “sabor barata”.

No ano passado, ela fez uma batida na fábrica da Ambev, no Distrito Industrial. O local da fabricação das bebidas apresentava teias de aranhas e sujeira por toda parte. Diante do escândalo, a Ambev resolveu investir em sua fábrica na capital.

No entanto, já chegaram novas denúncias de mais imundície encontrada nas garrafas de Brahma, fabricada em Jacareí (SP), e outra de São Luís. Dois inquéritos foram abertos para apurar as novas denúncias.

“Eles (a Ambev) tem-se portado como se nós consumidores fôssemos lixo. Estou pensando seriamente em pedir a prisão preventiva dos diretores dessa empresa”, declarou Lítia Cavalcante.

Mas o problema não acontece apenas com a Ambev. Duas garrafas da nova Schin, da fábrica de Caxias, apresentaram objetos em seu interior – um rótulo da própria marca e uma tampinha. Segundo ela, este tipo de problema acontece porque porque não há um controle de qualidade sério nessas fábricas.

A promotora também ajuizou 14 processos contra a Coca Cola pelos mesmos problemas. Vários produtos da multinacional (Coca Cola, Fanta e Aquarius Fresh) apresentaram impurezas e objetos em seu interior, com laudo positivo do Icrim.

Nem a água de beber escapa. Lítia ajuizou uma ação contra a Indaiá por causa de sujeira no interior de seus galões de água.

Fonte : blog Décio Sá

FONTE: http://www.tribunadomaranhao.com.br/noticia/promotora-estuda-pedir-prisao-de-diretores-da-ambev-por-causa-de-imundicie-em-bebidas-8122.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br