27/09/2012 12:00 am

Projeto da UFMA faz resgate histórico sobre comunidades quilombolas de Alcântara

Projeto da UFMA faz resgate histórico sobre comunidades quilombolas de Alcântara

Membros do Projeto vão escrever um livro sobre as comunidades

SÃO LUÍS – Estudantes e professores do Campus de Imperatriz da Universidade Federal do Maranhão realizaram a 15ª viagem para o município de Alcântara, situado no norte do Maranhão, com objetivo de resgatar a história das comunidades quilombolas da região. O grupo ALMA (Alcântara – Maranhão): reescrevendo as histórias das comunidades quilombolas do Maranhão é formado por estudantes dos cursos de Pedagogia, Direito, Enfermagem e Jornalismo da UFMA Imperatriz, além de representantes do Centro de Cultura Negra Negro Cosme e da Coordenação de Igualdade racial, que realiza atividades em Alcântara há quase três anos. 

Uma das metas do grupo é escrever um livro que conte a história e mostre os avanços e tradições das comunidades quilombolas do Maranhão. São dois anos e oito meses de trabalho e a expectativa é que a publicação seja feita no primeiro semestre de 2013. Para atualizar as informações e buscar novos aspectos para a composição do livro, a viagem do grupo, no mês de setembro, também abriu espaço para revisitação das comunidades. Os pesquisadores foram novamente às comunidades de Castelo, Marudá, Só-assim, Mamuri e Ilha do Livramento e, além da observação, o grupo também recebeu material, escrito pelos próprios moradores, que vão servir de base para a publicação. 
Na última viagem, 11 integrantes do grupo realizaram atividades durante a celebração dos 190 anos de independência do Brasil. O grupo participou de eventos escolares que exaltaram o civismo, principalmente dos desfiles. As celebrações aliaram a tradição cívica aos saberes populares. “Em um dos desfiles em Alcântara, as crianças participavam do desfile, quando num momento a fanfarra parou e o espaço foi dado ao tambor de crioula”, conta a professora Herli Carvalho, coordenadora do grupo. 

Diálogo sobre os conflitos envolvendo os quilombolas 

Além de fazer um resgate histórico das comunidades quilombolas, o Projeto Alma tenta, ainda, contribui para a resolução de problemas sociais dos moradores. Durante a reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência 2012 (SBPC), realizada na UFMA, o grupo participou de uma mesa-redonda com integrantes apresentando diferentes pontos de vista sobre a questão dos quilombolas. Na oportunidade, participaram a coordenadora Herli Carvalho, moradores das comunidades quilombolas, representantes do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e do Alcântara Cyclone Space (ACS). Os dois últimos fazem parte do projeto de pesquisas espaciais sediado no Maranhão. 

O maior conflito entre as comunidades quilombolas e o CLA e ACS é a busca por reorganização das terras em Alcântara entre os moradores e o Centro de lançamento. Muitas dúvidas foram esclarecidas durante a mesa-redonda e o melhor resultado, de acordo com a professora Herli, foi o início de um diálogo que deve melhorar a convivência nas comunidades. “ A mesa-redonda serviu para conhecimento das partes e para tirar dúvidas buscando a harmonia em Alcântara”, comemora a professora Herli carvalho. 

http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=40686

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br