4/10/2011 12:00 am

Professores protestam contra agressão da PM no Ceará

Professores da rede estadual do Ceará, em greve há dois meses, realizaram na tarde desta segunda-feira (3) uma passeata da Assembleia Legislativa do Estado ao Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado. O percurso tem 800 metros e foi um protesto contra o conflito realizado entre professores e policiais militares na quinta-feira (29), na Assembleia, em que dois professores ficaram feridos.

Na ocasião, o presidente da Assembleia, deputado Roberto Cláudio (PSB), disse que a força policial foi usada para garantir a segurança de parlamentares e professores e para evitar uma possível depredação do prédio público. Nenhum representante do Governo do Estado se manifestou a respeito do protesto realizado nesta segunda-feira.

O ato reuniu cerca de dois mil manifestantes, de acordo com a Polícia Militar, entre professores, alunos das redes estadual e municipal e de escolas privadas. “A greve está prejudicando os alunos da rede pública e é injusto que os alunos não concorram no mesmo nível dos alunos das escolas privadas”, diz o aluno de escola particular Luiz Henrique, de 18 anos.

Cerca de 80 policiais do Batalhão de Choque estiveram presentes para trabalhar na segurança do local. O entorno do Palácio da Abolição também teve trânsito bloqueado e a Autarquia Municipal de Trânsito fez os desvios na região. O entorno da sede do Poder Executivo estadual é território de segurança permanente desde do dia 25 de agosto deste ano e garante ao Governo o poder de controlar o trânsito na área.

Piso

Os manifestantes fizeram uso de um caminhão com equipamento de som e protestaram contra a aprovação da matéria que reajusta o piso dos professores do estado na última quinta-feira. A matéria concede o piso para professores com ensino médio de R$ 1.187. Pela lei, de acordo com o presidente do sindicato dos professores, Anízio Melo, professores graduados deveriam receber 60% a mais que o piso de professores com ensino médio. Mas, alega, atualmente recebem 23% a mais.

Estudantes fizeram uma queimada simbólica de uma cópia da mensagem do Executivo aprovada na Assembleia Legislativa. Para esta terça-feira (4), está prevista uma reunião do governador Cid Gomes (PSB) com dirigentes do sindicato dos professores. Segundo Anízio Melo, os principais pontos de reivindicação são o pedido para revogar a matéria aprovada na Assembleia e a reabertura de diálogo com a categoria para pedir alterações no piso dos professores estaduais.

Nesta terça-feira (4) haverá também nova assembleia geral da categoria para definir os rumos do movimento grevista. O encontro está programado para começar às 15h, no Ginásio Paulo Sarasate.

Da redação, com informações do G1

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=165501&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br