21/05/2010 12:00 am

PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL: CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

Os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação das escolas públicas municipais de todo o Brasil recebem vencimentos diferentes, apesar das municipalidades obterem o mesmo repasse financeiro por aluno matriculado. Um verdadeiro descumprimento do princípio da isonomia (igualdade), previsto constitucionalmente.

No último dia 19 de maio, os servidores do magistério municipal iniciaram um movimento paredista por tempo indeterminado, motivados pelas péssimas condições de trabalho, pelo descumprimento reiterado de direitos consagrados no estatuto do magistério e no plano de cargos, carreira e vencimentos e por um salário digno, que valorize o profissional em educação. 

Hoje, em meio ao movimento de greve, estamos fazendo manifestações para que toda sociedade saiba e nos apóie na luta em defesa de uma Escola Pública de Qualidade. Exigimos o respeito aos direitos já conquistados. Este governo que aí está vem se negando a atender as principais reivindicações da categoria desde o início, demonstrando a sua falta de compromisso com uma política séria de educação. 

Somos nós, que com nosso trabalho, educamos para a vida a maioria dos filhos e filhas dos cidadãos Ludovicense e lutamos para que as promessas desse governo, relativas à Educação, sejam cumpridas. Mas precisamos da compreensão e apoio da comunidade. Precisamos que a população de São Luís não encare a paralisação dos servidores do magistério como uma simples reivindicação de reajuste de vencimento. Precisamos que a sociedade nos ajude a alavancar um ciclo virtuoso de política social voltada à educação das nossas crianças. Chega de depósitos de estudantes! Precisamos de escolas bem estruturadas, que respeitem a dignidade da pessoa humana, que dê ao professor condições de desempenhar seu trabalho com afinco e prazer. Chega de promessas não cumpridas e de alunos concluindo o ensino fundamental sem o domínio da leitura. Chega de conversa Sr. Prefeito. Já estamos no segundo ano de mandato e nada muda nesta cidade. Onde está o nosso governante? 

A paralisação do servidor público é um direito constitucional legítimo, previsto no art. 37, VII, da Carta Magna, devendo ser exercido nos limites da Lei 7783-89. A greve dos servidores do magistério municipal é legal e não pode ocasionar qualquer prejuízo ao servidor que aderir ao movimento. Ameaças de corte de ponto, de demissão de contratados ou de servidores em estágio probatório são ilegais e já estão sendo questionadas judicialmente. 

Por isso, o SINDEDUCAÇÃO e todas categoria do magistério municipal, tem a certeza de contar com o apoio da sociedade para fortalecer esta luta. 

Sindicato dos Profissionais do Magistério do Ensino Público Municipal de São Luís (SINDEDUCAÇÃO).                                                                               

21 de maio de 2010.

FONTE: http://www.sindeducacao.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=127&Itemid=28

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br