1/09/2010 12:00 am

POPULAÇÃO PODERÁ AJUDAR NA CONSTRUÇÃO DE PESQUISA INÉDITA SOBRE A SAÚDE E HÁBITOS DO BRASILEIRO

POPULAÇÃO PODERÁ AJUDAR NA CONSTRUÇÃO DE PESQUISA INÉDITA SOBRE A SAÚDE E HÁBITOS DO BRASILEIRO

Interessados podem acessar site exclusivo lançado pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE. Questionários serão aplicados a partir de 2012

A partir de hoje (31), pessoas interessadas em contribuir com a elaboração da 1ª Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) podem enviar sugestões por meio de site exclusivo para produção do questionário. Coordenado pelo Ministério da Saúde em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o novo inquérito de base populacional será realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a partir de 2012. O site vai facilitar participação de técnicos e pessoas interessadas na construção da pesquisa, além de estimular o debate sobre o estudo inédito.

Em fase de construção, a PNS avaliará a saúde e alguns hábitos do brasileiro, com amostragem estimada em 60 mil pessoas. De acordo com o planejamento inicial, serão realizadas entrevistas domiciliares individuais com foco na condição de saúde e estilo de vida do entrevistado. Em cada residência, um sorteio apontará um único morador de 18 anos ou mais, que responderá ao questionário. Para esse indivíduo, serão feitas aferições de peso, altura, circunferência da cintura e pressão arterial, bem como coleta de sangue para exames laboratoriais.

A pesquisa será coordenada pelo Departamento de Análise de Situação de Saúde (Dasis) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), pelo Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE/MS) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Entendemos que desenvolver este processo representa não só uma grande oportunidade de coletar informações essenciais para a formulação de políticas na área de promoção, vigilância e atenção à saúde, mas também um avanço no estabelecimento parcerias de trabalho envolvendo áreas técnicas do Ministério da Saúde, IBGE, secretarias municipais e estaduais de saúde e instituições acadêmicas”, afirma a coordenadora geral da Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (CGDANT) do DASIS, Deborah Malta. Com periodicidade prevista de cinco anos, a pesquisa fará parte do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares.

CONSTRUÇÃO – No âmbito nacional, o processo de desenvolvimento da PNS iniciou-se em 2003 pelo Comitê Temático sobre Informações de Base Populacional da Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA). Esse processo foi revigorado, em 2007, no seminário da Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (ABRASCO) sobre inquéritos populacionais, quando foi recomendado o estabelecimento de um grupo executivo de trabalho para o planejamento da PNS. No ano de 2009, foi promulgada a portaria que nomeou um Comitê Gestor, responsável pela elaboração das diretrizes para a execução da PNS.

O plano de amostragem será delineado em conjunto com o IBGE, parceiro do Ministério da Saúde na realização da pesquisa, incluindo o estudo piloto. Na fase atual de planejamento da PNS, o questionário está sendo elaborado com base nas experiências nacionais e internacionais em inquéritos de saúde e nos resultados de um processo de consulta a pesquisadores e representantes das áreas técnicas do Ministério da Saúde.

FERRAMENTA – De acordo com o DASIS, os inquéritos populacionais de saúde vêm sendo utilizados de forma crescente como meio de obter informações sobre a morbidade referida (doenças autodeclaradas pelo entrevistado) e estilos de vida saudáveis, além de permitir a avaliação do desempenho do sistema de saúde.

Nos países desenvolvidos, os inquéritos de base populacional são utilizados desde a década de 1960, enquanto que nos países em desenvolvimento a aplicação de inquéritos é uma prática mais recente.

No Brasil, o Ministério da Saúde tem feito substanciais investimentos na área, com o financiamento do Suplemento Saúde da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (PNAD – 1998, 2003 e 2008). Além disso, vem realizando pesquisas periódicas sobre doenças crônicas e fatores comportamentais nas capitais dos estados e no Distrito Federal por meio da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL).

SERVIÇO
1ª Pesquisa Nacional de Saúde

Site para sugestões: http://www.pns.icict.fiocruz.br

Outras informações
Atendimento à Imprensa

(61) 3315 3580 e 3315 2351

FONTE: http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=11673

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br