30/09/2011 12:00 am

Polícia reprime manifestação de professores no Ceará

Professores da rede estadual de ensino do Ceará e policiais entraram em conflito na manhã desta quinta-feira (29) na Assembleia Legislativa, antes da coletiva de imprensa que os docentes iriam dar, marcada para as 10 horas, no Auditório Murilo Aguiar. Segundo testemunhas, policias agrediram professores que estavam no local. Alguns docentes ficaram feridos.

Professor sendo socorrido pelo Samu após ter sido agredido no confronto com a polícia. A categoria está em greve há 56 dias e, desde a manhã desta quarta-feira (28), está em “Vigília pela Educação” na Assembleia Legislativa. Alguns professores foram detidos no momento da confusão, entre eles os professores Cláudio Monteiro e Clésio Mendes, os quais já foram liberados.

Na última sexta-feira (23), os professores decidiram manter a greve, depois que o governo do estado apresentou uma nova proposta. A categoria, que está em greve há quase dois meses (desde o dia 5 de agosto) reivindica, entre outras pautas, o cumprimento da Lei Piso Nacional para todos os professores, estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).


Proposta do Governo

A manifestação marca a posição contrária à remuneração proposta pelo governo do estado, que, segundo os professores, contraria a Lei 12.066 de Cargos, Carreiras e Salários. Os manifestantes rejeitam as mudanças, afirmando que a proposta divide a categoria em duas classes.

Na Mensagem enviada pelo governo aos deputados, as referências de 1 a 12 dizem respeito aos profissionais de nível médio, que integram o Grupo Ocupacional Magistério da Educação Básica (MAG). Para esses professores fica, então, estabelecido o vencimento inicial de R$ 1.187,00.

Já as referência de 13 a 30, relativa à tabela vencimental de profissionais com licenciatura plena, especialização, mestrado e doutorado não sofrem alterações de valores e ficam renumeradas de 1 a 18. Segundo o texto da Mensagem, “os profissionais de nível superior (..) permanecem como objeto de estudo e de medidas posteriores”.

A Mensagem ainda cria a Gratificação por Efetiva Regência de Classe para todas as referências do grupo MAG de nível médio (ref. 1 a 12), ativos e inativos, no valor de R$ 118,70, para jornada e vencimento padrão de 40 horas, com valor proporcional no caso de jornadas e vencimentos menores.


Da redação, com informações do Jangadeiro Online

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=165253&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br