26/10/2011 12:00 am

Permanência indígena na UFMA é discutida em seminário em ITZ

Participam das discussões lideranças indígenas, gestores da UFMA, membros da Funai e sociedade civil

IMPERATRIZ – Depois de uma semana de aulas de reforço para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a fim de preparar os indígenas para o acesso ao curso superior, a Universidade Federal do Maranhão – Campus de Imperatriz, realiza um seminário hoje (25) propondo discussões acerca da permanência desses indígenas na Universidade. 

O Projeto de Lei 3627/2004 do Governo Federal exige das instituições de ensino superior um número exclusivo de vagas para esse público. O Campus da UFMA de Imperatriz, por exemplo, dispõe de oito vagas para indígenas. Segundo a professora do curso de Pedagogia da UFMA, Maria da Glória Freitas, a estabilidade dos indígenas na Universidade, no entanto, não é garantida apenas pela existência de cotas. “Tem de haver apoio aos alunos bilíngues, como no caso dos indígenas que possuem o Tupi ou o Jê como língua principal”, explica. 

A professora defende, ainda, métodos de auxílio para esses estudantes com a criação de bolsas ou outras ações que os apoiem na sobrevivência econômica e pedagógica no ensino superior. “Podemos investir em bolsas de extensão e tutoria acadêmica com plantões de dúvidas para os ingressos indígenas”, sugere a professora. 

O seminário de hoje inclui mesas-redondas e grupos de debates. A programação teve início às 09h30 e vai ser encerrada às 22h no auditório da UFMA, Campus de Imperatriz. O evento é livre para o público em geral e não necessita de inscrições.

Confira a programação clicando aqui! 

Edição: Lígia Guimarães e Diogo Azoubel 
Revisão: Carla Morais

 

FONTE: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=11572

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br