3/10/2012 12:00 am

Patrões enrolam e metalúrgicos partem pra pressão

Patrões enrolam e metalúrgicos partem pra pressão

Negociações tiveram poucos avanços por conta da intransigência dos empresários

 

Diante da enrolação dos grupos patronais em aumentar as propostas de reajuste salarial, os metalúrgicos estão se mobilizando. Agora, vamos partir pra pressão e, onde houver proposta superior às apresentadas pelos grupos, a negociação poderá ser direto com as fábricas.

 

Foram dois meses de negociação entre Sindicato e grupos patronais. Nesse período, foram poucos os avanços.

 

Os patrões insistem em pagar apenas a inflação ou, no máximo, um aumento real que não chega a 2%.

 

Apenas os setores de fundição e estamparia já chegaram a 8%.

No setor aeronáutico, a Embraer propôs só inflação e ainda cancelou a reunião da semana passada.

 

Caminho é mobilização

 

Se não houver acordo, o caminho será aumentar as greves e, se for o caso, negociar direto com as fábricas. A decisão foi aprovada na Assembleia Geral, ocorrida nesta terça, dia 2.

 

Semana passada, trabalhadores de nove fábricas já mostraram que não estão pra brincadeira. Houve paralisações na Techal, Wireflex, Usimoren, Delbras, Forming, Winnstal, Italspeed, Graúna e Haldex.

 

ACORDOS FECHADOS

Sky – 11%

WL – 10%

JM – 10%

L Roberto – 10%

J.A. Matilde – 10%

CR Barcos – 10%

Sun Tech – 9%

Blue Tech – 9%

Eltek – 8,5%+R$ 750 abono

GM – 8,24%+R$ 3.250 abono

TI – 8,24% + R$ 2.400 abono

Parker – 8,24%

Hubner – 8,24%

 

Fonte: Sindmetal:SJC

http://cspconlutas.org.br/2012/10/patroes-enrolam-e-metalurgicos-partem-pra-pressao/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br