21/08/2012 12:00 am

Paraguaios preparam protestos contra o cultivo de transgênicos

Paraguaios preparam protestos contra o cultivo de transgênicos

 

No Paraguai, a Federação Nacional Camponesa (FNC) anunciou a realização de protestos contra a aprovação dada pelo governo ao uso de sementes transgênicas para a produção de milho e algodão.

A autorização para esse tipo de produção foi dada pessoalmente por Federico Franco – que ocupou a Presidência da República depois da destituição de Fernando Lugo – durante uma reunião com os grandes empresários do setor, seguida da assinatura de um decreto.

No dia 7 de julho, o Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Vegetal e de Sementes inscreveu no Registro Nacional de Cultivos Comerciais a variedade transgênica de algodão da multinacional Monsanto, do tipo “BT”, foi publicado oficialmente.

 

A utilização dessas sementes – das mesmas multinacionais que concentram a produção e exportação, vendendo também ao Paraguai os produtos químicos para o processo agrícola – foi recusada pelos trabalhadores.

 

Além da FNC, um total de 28 centrais camponesas e indígenas, junto a instituições ambientalistas e de defesa dos direitos humanos, exigiram ao Ministério de Saúde e à Secretaria do Meio Ambiente publicar os argumentos utilizados para liberar o milho transgênico.

 

Igualmente, apontaram a responsabilidade da instituição em garantir que as sementes usadas não tenham efeitos negativos nos cultivos e alimentos, assim como na terra.

 

Os trabalhadores rurais denunciam que, tanto os herbicidas vendidos pelas mencionadas multinacionais, como o uso de tais sementes, são inclusive nocivos à saúde dos agricultores e suas famílias e prejudicam fortemente as terras, que ficam inúteis para outros cultivos.

 

A demanda das organizações inclui exigir das multinacionais e grandes empresários nacionais estudos completos e contundentes sobre a inocuidade alimentícia e o impacto ambiental que estes cultivos agora autorizados pelo Executivo.

 

Segundo análises científicas do mundo inteiro provam os efeitos negativos do milho transgênico para a saúde as consequências nocivas sobre o equilíbrio ambiental e a contaminação genética das espécies locais.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=191766&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br