12/03/2012 12:00 am

Oposição pede reunião do Conselho de Segurança e intervenção na Síria

Oposição pede reunião do Conselho de Segurança e intervenção na Síria

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O Conselho Nacional Sírio (CNS) pediu nesta segunda-feira que seja realizada uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU para obter apoios e promover uma intervenção militar estrangeira na Síria, após a morte em série de crianças e mulheres na cidade de Homs, descoberta nesta segunda.

O membro da executiva do CNS, Mulhim Al Drubi, disse a agência de notícias Efe que sua coalizão solicita essa reunião e uma intervenção, inclusive militar, “para frear estes massacres”.

“O povo sírio perdeu a paciência e quer uma intervenção militar imediata”, afirmou Al Drubi, que também é o responsável de Relações Internacionais da Irmandade Muçulmana síria.

Em comunicado divulgado depois da descoberta de 45 corpos no bairro de Karm el Zaitoun, o CNS pediu à Liga Árabe e à ONU que exijam do Conselho de Segurança a adoção de “medidas necessárias para acabar com as operações de genocídio”.

O principal órgão político da oposição síria destacou a importância de “uma intervenção urgente e crucial que permita frear a utilização das ferramentas de morte e destruição por parte do regime”.

A nota indica que o CNS iniciou “os contatos necessários com os Estados amigos do povo sírio” com o objetivo de convocar a reunião e conseguir uma intervenção para proteger os civis, além de solicitar que o povo sírio seja equipado com todos os meios para permitir que se defenda.

O órgão opositor denunciou que após este último massacre e depois que o regime do presidente sírio, Bashar Al Assad, cometeu crimes similares em outros bairros de Homs, o destino dos responsáveis sírios é “o Tribunal Penal Internacional, como criminosos de guerra”.

“Todos os países do mundo estão convocados a tomar a posição que sua responsabilidade política e ética requer, apoiando o povo sírio e interrompendo os massacres”, conclui o texto.

ANNAN

O enviado especial da ONU à Síria, o ex-secretário geral da organização, Kofi Annan, afirmou que a violência no país deve parar “imediatamente”.

“Há informações graves e terríveis de atrocidades e abusos. A matança de civis precisa parar imediatamente. O mundo deve mandar uma mensagem clara e unida sobre o assunto”, disse Annan, ao chegar a Ancara, capital da Turquia, onde se reúne com opositores na terça-feira, de acordo com os organizadores da visita.

Mais cedo, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, declarou que o conflito na Síria deixou incertezas na região e submeteu cidadãos de várias cidades a violência desproporcional.

Nesta segunda, o presidente da comissão de investigação internacional sobre a Síria, o brasileiro Paulo Pinheiro, apresentou um informe em que relata a situação no país, sob conflito há mais de um ano.

“O êxodo continua para o Líbano, a Jordânia e a Turquia. A situação desesperada dos civis deve ser tratada com urgência absoluta”, afirmou Pinheiro, na exposição do documento.

CORPOS ENCONTRADOS

Pelo menos 47 corpos de mulheres e crianças foram encontrados na cidade síria de Homs (centro), resultado de um “massacre” atribuído pelos militantes da oposição às forças do regime de Bashar al Assad e pela televisão oficial síria a “grupos terroristas”.

“Os corpos de pelo menos 26 crianças e 21 mulheres foram encontrados nos bairros de Karm al-Seitum e Al-Adauieh, alguns deles degolados e outros esfaqueados pelos Shabiha (milícias do regime)”, afirmou à AFP Hadi Abdallah, militante local da Comissão Geral da Revolução Síria, que exibiu um vídeo como prova da acusação.

Segundo Abdallah, “membros do Exército Sírio Livre (ESL, formado por militares dissidentes) conseguiram transportar os corpos para o bairro de Bab Sebaa, considerado mais seguro” e assim conseguiram filmar os corpos.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1060629-oposicao-pede-reuniao-do-conselho-de-seguranca-e-intervencao-na-siria.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br