21/09/2012 12:00 am

Operários da construção civil de Belém encerram greve e arrancam conquistas

Operários da construção civil de Belém encerram greve e arrancam conquistas

Os operários da construção civil da região metropolitana de Belém (PA) encerraram a greve nesta quinta-feira (20) e voltaram ao trabalho nesta sexta-feira (21). A disposição desses trabalhadores em lutar por seus direitos arrancou importantes avanços em sua pauta de reivindicações e pôs fim a paralisação que durou 17 dias.

 

Os oficiais (pedreiros, carpinteiros, pintores, ferreiros etc.) e ajudantes conquistaram 9,23% de reajuste salarial.  Os encarregados, mestres de obra e meio-oficiais conquistaram um índice de reajuste de 8,5%. 

 

Outra conquista importante foi a manutenção do acesso do sindicato diariamente nos canteiros de obra. Direito que o Sindiscon (sindicato patronal) tentava retirar.

 

Também foi mantido o pagamento de salários aos trabalhadores acidentados até que saia a primeira parcela do beneficio do INSS. Essa cláusula foi uma conquista da greve do ano passado que os empresários ardilosamente também queriam retirar.

 

Na pauta especifica das mulheres, as empresas se prontificaram a promover a qualificação profissional das operárias. O membro da Secretaria Executiva da CSP-Conlutas, Atnágoras Lopes, revela que em Belém uma mulher entra servente e morre servente nos canteiros de obra. “Essa conquista permite dar os primeiros passos pela valorização da mulher trabalhadora”, informa.

 

Os dias parados serão descontados em seus valores absolutos em quatro parcelas mensais sem reflexos sobre o pagamento de férias e PLR (Participação nos Lucros e Resultados).

 

Lopes destaca que esses avanços na pauta de reivindicações foi uma vitória dos trabalhadores que enfrentaram muitas dificuldades nessa campanha salarial. “Foram dias de luta acompanhados por um forte batalhão repressivo, a intervenção do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e a intransigência da empresa que passou por cima de uma liminar da justiça que exigia o pagamento dos dias parados, e não a cumpriu durante cinco dias, tentando derrotar a greve com a fome dos operários”, avaliou.

 

Segundo Lopes esses ataques não intimidaram a disposição de luta desses trabalhadores que conseguiram arrancar vitórias significativas.

 

“Além da força da categoria, o apoio da CSP-Conlutas e a unidade dos sindicatos de Belém, Ananindeua e Marituba foram determinantes para que saíssemos vitoriosos dessa greve”, finalizou.

http://cspconlutas.org.br/2012/09/operarios-da-construcao-civil-de-belem-encerram-greve-e-arrancam-conquistas/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br