19/09/2011 12:00 am

Obras da refinaria vão usar areia extraída do Rio Munim

DENÚNCIA DE EX-PROMOTOR

Empresa FC Transportes – que presta serviços a empreiteiras da refinaria que está sendo construída em Bacabeira – retira do rio 20 caçambas de areia por dia

POR OSWALDO VIVIANI

Há mais de um mês, a empresa FC Transportes está retirando desregradamente areia do leito do Rio Munim, no município de Cachoeira Grande (a 110 quilômetros de São Luís). A empresa, com sede em Brasília, presta serviços para empreiteiras contratadas pela Petrobras para construir a Refinaria Premium, em Bacabeira (cidade vizinha à capital maranhense). O destino a areia extraída do Munim seria a etapa de edificação da refinaria, que ainda está na fase de terraplenagem.

A denúncia do suposto crime ambiental – de autoria do promotor de Justiça aposentado Celso Correa Pinho – já está nas mãos, desde a semana passada, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Também foram cientificados do caso a Promotoria Pública de Morros, o promotor de Meio Ambiente Fernando Barreto e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).

Ao documento encaminhado às autoridades que cuidam do meio ambiente, Celso Pinho juntou fotos que comprovam a extração sem controle.

A areia é retirada do Rio Munim à altura do povoado Casca Grossa (a cerca de 8 quilômetros da sede de Cachoeira Grande). Duas possantes dragas executam a extração, e tubulações conduzem e amontoam a areia à margem do rio.

Depois, a areia é colocada em grandes caminhões basculantes (caçambas) e levada a uma área próxima, que serve de depósito. Ao menos 20 caçambas cheias de areia do rio são descarregadas todos os dias no depósito.

Não há nenhuma placa referente ao licenciamento ambiental no local da extração. Uma área verde de aproximadamente 5 mil metros quadrados foi desmatada para abrir a estrada pela qual circulam as caçambas com areia.

O desmatamento e a abertura da estrada foram realizados, segundo consta na denúncia de Celso Pinho, por “máquinas alugadas à Prefeitura de Cachoeira Grande, com total apoio e cobertura desta, em parceria com a empresa FC Transportes, proprietária das caçambas e dos equipamentos de extração de areia”.

Denúncia em 2007 – O Rio Munim vem sofrendo com a retirada descontrolada de areia e pedra seixo há pelo menos uma década.

Em setembro de 2007, o Jornal Pequeno denunciou, no caderno especial Realidade Maranhense, que o então vereador Carlos Fernando Rocha da Cunha, de Cachoeira Grande, estava entre as pessoas que extraíam e comercializavam areia do Rio Munim.

Outro lado – O JP tentou contato com a FC Transportes, mas não conseguiu o telefone da empresa, apenas seu endereço: Quadra 701, Asa Sul (Brasília).

Um dos donos da FC Transportes é Cleison Gadelha Queiroz, demitido em julho passado – em meio à “faxina” do governo federal no Ministério dos Transportes – da função de gerente de Licitações e Contratos da Valec, estatal do setor ferroviário.

O outro sócio da empresa é Fernando de Castilho, analista de Infraestrutura de Transportes da Valec – que segue na estatal.

 

FONTE: http://www.jornalpequeno.com.br/2011/9/17/obras-da-refinaria-vao-usar-areia-extraida-do-rio-munim-170299.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br