26/09/2012 12:00 am

Nova manifestação será realizada hoje, em Madri, contra o presidente Mariano Rajoy e Troyka

Nova manifestação será realizada hoje, em Madri, contra o presidente Mariano Rajoy e Troyka

Nesta quarta-feira (26), o Sindicalismo de Classe e Alternativo está convocando nova manifestação na Espanha e uma greve geral no País Basco, para exigir: Fora o presidente Rajoy e a Troyka, e pelo não  pagamento da dívida. Nesta terça-feira (25), milhares de dezenas de pessoas ocuparam as ruas de Madri em mais uma manifestação contra as medidas econômicas impostas pelo governo e pela Troyka – Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

O protesto foi convocado pela “Coordinadora 25S” e pela “Plataforma en Pie”, organizações que defendem uma agenda de desobediência civil e uma “assembleia permanente” de cinco dias de duração nas imediações do Congresso de Deputados. Pretendem ainda manter os protestos nestes cinco dias.

Os manifestantes realizaram uma passeata rumo ao  Congresso que dizem não os representar. Pela manhã, a polícia realizou a revista em diversos ônibus, que saiam de todos os cantos do país rumo ao ato. O objetivo era tentar intimidar os manifestantes.

 

À tarde milhares cercaram o Parlamento e exigiam o fim da política de  arrocho do governo  que retiram o direito dos trabalhadores. A repressão policial se intensificou e manifestantes foram agredidos, ainda assim resistiram e permaneceram no local. A polícia anti-distúrbio, deslocada de todo o país para Madri, sitiou e bloqueou as proximidades do Congresso. Com a aproximação dos manifestantes, reprimiu violentamente com bombas de gás, balas de borracha e golpes de cassetete. “Que no, que no, que no tenemos miedo”, cantavam os ativistas. “El último parado (desempregado) que seja um deputado!”. A repressão deixou pelo menos 64 feridos, além de 35 detidos. Confira no vídeo abaixo.

O número de desempregados em Espanha é agora de 5,7 milhões de pessoas, segundo os dados oficiais do segundo trimestre do ano, o maior em termos absolutos. A taxa oficial de desemprego é de 24,73%, a maior registada nos últimos 18 anos e a perspectiva é de que chegará aos 25% no final deste ano. Apesar da acelerada degradação do mercado de trabalho na Grécia a Espanha continua a ser o país da União Europeia mais atingido pelo desemprego.

 

Com informações e foto do Portal Euronews e blog The Week

http://cspconlutas.org.br/2012/09/manifestantes-cercam-congresso-em-manifestacao-que-reune-milhares/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br