10/09/2012 12:00 am

Nota do MTST em solidariedade à Favela do Piolho em São Paulo

Nota do MTST em solidariedade à Favela do Piolho em São Paulo

Mais um incêndio contra os pobres a favor da especulação imobiliária!

 

Após o incêndio que destruiu cerca de 300 barracos na favela do Piolho, Zona Sul de São Paulo, as famílias continuam sem nenhuma assistência.  A única representação do Estado nas imediações da comunidade é a PM, numa nítida iniciativa de inibir que as famílias voltem a montar barracos. Abandonadas, muitas famílias improvisam barracos na calçada e organizam uma cozinha comunitária para alimentar principalmente as crianças.

 

Em reunião com representantes da favela, a prefeitura sinalizou que não permitirá a volta das famílias. O senador Eduardo Suplicy esteve na favela no último dia 7 e fez, em conjunto com os moradores, uma carta de reivindicações para ser entregue ao prefeito Gilberto Kassab.

 

Na mesma semana, Kassab anunciou um pacote de mais de R$ 3 bilhões para construtoras e 46 mil despejos na cidade, comprovando para quem ele governa.

 

O MTST acompanha a situação da favela do Piolho e presta solidariedade aos trabalhadores que tiveram suas casas incendiadas. Resistir aos incêndios, que curiosamente afetam favelas nas regiões mais valorizadas da cidade, é lutar contra a especulação imobiliária, as grandes construtoras e o Estado que as protege.

 

Fonte: MTST http://www.mtst.org

http://cspconlutas.org.br/2012/09/solidariedade-a-favela-do-piolho-em-sao-paulo/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br