31/08/2010 12:00 am

NORDESTE REDUZ ÍNDICES DE DESNUTRIÇÃO INFANTIL, REVELA PESQUISA DO IBGE

NORDESTE REDUZ ÍNDICES DE DESNUTRIÇÃO INFANTIL, REVELA PESQUISA DO IBGE

Pesquisa divulgada pelo IBGE confirma avanços no combate à desnutrição, mas alerta para crescimento acelerado da obesidade

Os números divulgados pelo IBGE que revelam a diminuição acentuada da desnutrição em todas as faixas de renda e em todas as regiões do país. De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009), financiada pelo ministério e divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira (27), o Nordeste é o território que mais reduziu os índices de desnutrição infantil, alcançando percentuais próximos aos do Sudeste e aos do Centro Oeste, que historicamente apresentavam índices menores.

Caso a tendência seja mantida, o problema da desnutrição crônica, que é medida pelo déficit de altura em crianças, será superado na próxima década. ” A desnutrição despenca rapidamente no país graças aos programas sociais e à atuação do Saúde da Família para orientar padrões alimentares” , afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, no lançamento dos resultados da pesquisa. ” O recente Congresso Mundial de Obesidade, que reuniu os maiores especialistas da Europa nesta área, apontou dois países que estão na vanguarda de políticas para o enfrentamento dessa situação: Inglaterra e Brasil” , completou.

O excepcional declínio do problema da desnutrição nesta década está associado às melhorias observadas no poder aquisitivo das famílias de menor renda, com a valorização do salário mínimo e à complementação da renda; ao aumento da escolaridade das mães; à universalização do ensino fundamental e à ampliação da cobertura de serviços básicos de saúde e saneamento. Porém, os resultados da POF reforçam alerta sobre uma das principais preocupações com relação à saúde da população: o acelerado crescimento da obesidade em todas as faixas etárias.

A população brasileira melhorou muito em relação à desnutrição e ao déficit de altura. Mas, por outro lado, está engordando, fazendo pouca atividade física, está mudando o padrão alimentar de forma inadequada, o que acende a luz vermelha” , destacou Temporão. Segundo a POF, metade da população adulta está acima do peso considerado ideal. O desequilíbrio entre ingestão e utilização de calorias revela uma mudança nos padrões de alimentação dos brasileiros, que estão substituindo alimentos tradicionais por industrializados.

“As famílias estão gastando mais com refeições fora de casa, incluindo as chamadas fast food (comida rápida), comidas gordurosas. Tem menos feijão no prato do brasileiro, menos saladas, o que acaba contribuindo com o excesso de peso dos brasileiros”, observou o ministro.

Atento a esse cenário, o governo federal vem promovendo medidas voltadas à promoção da alimentação saudável no Brasil com forma de reverter este quadro. Esta semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou decreto que instituiu a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional para articular e integrar as diversas ações desenvolvidas pelos ministérios; entre eles, o da Saúde. O objetivo da Política é estimular o consumo de alimentos saudáveis e água. O Programa Nacional de Alimentação Escolar do Ministério da Saúde é parte dessa política e funciona integrado à produção local de alimentos e à agricultura familiar, que fornece frutas, legumes e verduras usados na merenda escolar.

FONTE: http://www.isaude.net/pt-BR/noticia/10669/saude-publica/nordeste-reduz-indices-de-desnutricao-infantil-revela-pesquisa-do-ibge

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br