5/03/2012 12:00 am

#NasRedesNasRuas: UJS se prepara para o seu 16° Congresso

#NasRedesNasRuas: UJS se prepara para o seu 16° Congresso

 

“Sem tirar nenhum pé das ruas, nós queremos colocar as duas mãos na rede”. Essa foi a explicação dada por André Tokarski, presidente da União da Juventude Socialista (UJS), ao Vermelho, sobre os objetivos esperados com a campanha ‘Nas Redes e nas Ruas, Lutando pelo Brasil dos nossos Sonhos’.

A campanha que será lançada na terça-feira (13) é o lema do 16º Congresso Nacional da União da Juventude Socialista (UJS), a ser realizado na cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 07 e 10 de junho.

Em entrevista ao Vermelho, André Tokarski explicou que a ideia da campanha está baseada nas várias manifestações políticas e de luta da juventude pelo mundo. “Movimentos como a Primavera Árabe, os #Indignados de Madri, os lutadores do #occupywallstreet em Nova Iorque, as massivas mobilizações estudantis no Chile, o agosto verde e amarelo ou o #ocupebrasilia por 10% do PIB para a Educação, inspiraram a UJS nesse tema e a juventude socialista se prepara para discutir propostas que superem as desigualdades e injustiças que o capitalismo nos impõe, mas ao mesmo tempo renova e reforça sua capacidade de sonhar e lutar por um novo mundo, mais justo e solidário”, disse o dirigente.

Segundo ele, utilizar as redes sociais torna-se estratégico, abre diversas frentes de luta. “As redes sociais são cada vez mais importantes para a mobilização e participação da juventude. Sabemos que hoje as redes sociais assumiram um papel importante, mas devemos alinhar mais esta arma às mobilizações na rua. Por isso, articular essas duas formas de luta [nas ruas e nas redes] torna-se essencial para apresentar propostas de transformação de mudanças e de novas conquistas e direitos da juventude”.

 

Redes Sociais e a vitória da juventude

André Tokarski frisa que ao articular a movimentação nas redes sociais, a UJS garantiu o apoio de diversas entidades sociais e obteve conquistas concretas. Um exemplo disso foi a vitória da União Nacional os Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) na aprovação, na Comissão de Educação, dos 50% do fundo social do Pré-sal para a educação.

“Ações como essa inspiraram o lema para o Congresso deste ano. A internet é hoje a expressão mais democrática dos meios de comunicação, através dela nós podemos contar com a participação de milhares de jovens, seja na elaboração de conteúdos, seja com o compartilhamento destes. Sendo assim, ela se converte em um grande contraponto aos muros erguidos pela mídia, visto que abre espaço para as lutas não só da juventude, mas também a todas as lutas dos diversos movimentos sociais do Brasil e do mundo”, elucida Tokarski.

 

Quatro bandeiras, um objetivo

O presidente da UJS destacou também que durante o 16° Congresso serão levantadas quatro grandes bandeiras, as campanhas do ‘Se liga 16’, a luta pela aprovação do Estatuto da Juventude, a Rio+20 e a campanha de combate à violência contra a juventude.

Segundo ele, a UJS está focando na campanha ‘Se Liga 16’ para a mobilização dos jovens para o alistamento eleitoral que ocorre até o dia 9 de maio. “A UJS entende que é preciso fazer valer o que está previsto na Constituição, que é a conquista do voto aos 16 anos.

Sobre a Rio+20, Tokarski disse ao Vermelho que a UJS pretende organizar um seminário internacional da juventude na Cúpula dos Povos, que é uma reunião paralela à Cúpula oficial dos chefes de Estado. O Objetivo é debater a questão do desenvolvimento sustentável e refletir sobre a discussão do chamado capitalismo verde.

“Nós participamos do Fórum Social Temático, realizado em Porto Alegre, que além de preparar as entidades sociais para a cúpula dos povos, deixou claro alguns pontos que precisam ser discutidos na Rio+20. Então, a UJS está propondo lançar uma grande campanha de denúncia contra a proposta de capitalismo verde. Ao contrário do que andam propalando, a UJS acredita que para se construir um projeto de desenvolvimento sustentável é preciso pensar primeiro em justiça social. Ou seja, não dá pra fazer justiça ambiental sem pensar em justiça social e sem pensar em um novo sistema de produção frente ao atual”, reflete o dirigente.

 

Eleições 2012

Durante a entrevista, Tokarski também falou sobre os desafios da juventude em relação às eleições em 2012. Segundo ele, a UJS irá se mobilizar e apoiar diversas candidaturas juvenis, e todas as pautas apresentadas e defendidas neste ano pelo movimento estarão relacionadas diretamente com a campanha.

“A UJS se prepara para a campanha em 2012. Teremos um grande desafio e trabalharemos para eleger companheiros como Manuela D’Ávila, que é dirigente da UJS e será candidata a prefeita de Porto Alegre, Orlando Silva, que é ex-presidente da UJS e concorrerá a vereador em São Paulo, Marcelo Gavião que concorre para vereador em Salvador, o companheiro e ex-presidente da Ubes, Yann Evanovick, que concorrerá para vereador de Manaus, entre outros.

“Vivemos hoje no auge da crise do capitalismo nas ditas potências capitalistas e a juventude precisa refletir sobre os possíveis rumos, sobre a sociedade que ela quer construir. Por isso, reforçamos o chamado para a juventude participar o Congresso da UJS, pois será um espaço estratégico para quem quer lutar por um Brasil e um mundo mais justos”, reafirma Tokarski.

 

Agenda

No dia 13 de março, a UJS organizará um dia nacional de mobilização para lançar oficialmente o tema do 16° Congresso da UJS. Nesse dia realizaremos panfletagem nas 100 maiores cidades do país e ao mesmo tempo uma intensa mobilização nas redes sociais, com um grande tuitaço com a tag #NasRedesNasRuas.

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=177155&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br