22/11/2010 12:00 am

MPF ANALISA DENÚNCIA DA NAVALHA NO MARANHÃO

MPF ANALISA DENÚNCIA DA NAVALHA NO MARANHÃO

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) encaminhou para a Justiça Federal no Maranhão a parte do inquérito da Operação Navalha em que são investigados os maranhenses acusados de participar do esquema de desvio de recursos por meio de obras públicas, capitaneado pela construtora Gautama. São cerca de 30 volumes, que agora estão sendo analisados pelo Ministério Público Federal no Estado. Entre os denunciados estão os ex-governadores José Reinaldo Tavares (PSB) e Jackson Lago (PDT).

Desencadeada nos Estados de Alagoas, Maranhão, Piauí e Sergipe, a Operação Navalha descobriu a existência de uma quadrilha envolvendo servidores públicos e agentes políticos em desvio de recursos da União e estaduais. O esquema, segundo apurou a Polícia Federal, era organizado pelo empresário baiano Zuleido Veras, dono da Construtora Gautama. Ele foi acusado de distribuir propina e presentes aos envolvidos, para que eles liberassem os pagamentos por obras não realizadas.

Envolvidos

No Maranhão, o principal acusado de receber propina – incluindo um carro importado de luxo – é o ex-governador José Reinado Tavares (PSB), que chegou a receber um Citröen de presente, além de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Jackson Lago também teria recebido propina da construtora, intermediada pelos seus sobrinhos Paulinho Lago e Alexandre Lago, ambos presos na operação. Apesar de não ter sido preso, o pedetista foi denunciado e é réu no processo. Como nenhum deles tem foro privilegiado, o inquérito foi enviado para a Justiça Federal no estado.

O inquérito foi distribuído para a 2ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, que abriu vistas ao Ministério Público. Caberá ao procurador federal José Leite Filho fazer a análise formal do inquérito (avaliando se todos os réus apresentaram defesa e se a competência para cuidar do caso é da Justiça Federal ou da Estadual, por exemplo), e só depois o MPF se manifestará sobre o processo. Poderão ser formuladas novas denúncias e até proposto o arquivamento. “As possibilidades de encaminhamento são amplas”, sintetiza o procurador.

Fonte : O Estado do Maranhão

FONTE: http://www.tribunadomaranhao.com.br/noticia/mpf-analisa-denuncia-da-navalha-no-maranhao-8120.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br