20/04/2010 12:00 am

MOVIMENTOS PROTESTAM EM BRASÍLIA CONTRA BELO MONTE

MOVIMENTOS PROTESTAM EM BRASÍLIA CONTRA BELO MONTE
Na manhã desta terça (20/4), cerca de 600 atingidos por barragens e agricultores organizados no MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) e no MST, além de ativistas ambientais e de movimentos indígenas, marcham na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Eles partiram do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), onde ontem estiveram acampados nesta segunda-feira (19/4), e seguem em direção à Aneel.
O leilão estava marcado para acontecer hoje, mas pela segunda vez foi suspenso por uma liminar expedida pela Justiça Federal, que afirma que a obra fere os direitos indígenas. Manifestações contrárias à obra estão acontecendo em diversas capitais, entre elas Fortaleza, Florianópolis, Porto Alegre, Porto Velho, Belo Horizonte, Belém, além de Campina Grande, na Paraíba, e em Altamira, no Pará.
Na semana passada, o MAB e diversas entidades contrárias à construção de Belo Monte estiveram na Aneel em um grande ato que contou com a presença do diretor do filme Avatar, James Cameron . Ele declarou ser totalmente contra a construção de Belo Monte e apresentou inúmeros argumentos para reforçar sua posição, desde a necessidade de um novo modelo energético para o Brasil e para o mundo, até os impactos socioambientais e econômicos que serão causados na região, afetando severamente as comunidades locais.
Entre as empresas multinacionais interessadas na construção deste mega- empreendimento, estão a empresa mineradora Vale, a construtora Andrade Gutierrez e a empresa de energia Neoenergia. “Essas empresas têm um histórico de exploração dos bens naturais do território amazônico para fins comerciais e lucrativos. Elas nãos respeitam os direitos dos povos da região e nem a nossa soberania enquanto nação. Por isso estamos mobilizados em sete capitais do país, dispostos a não deixar essa obra acontecer”, afirmou Iury Charles, da coordenação do MAB.

Protesto também no Rio Grande do Sul
Movimentos sociais da Via Campesina e entidades ambientalistas fazem um ato simbólico na manhã desta terça (20/4) contra o leilão de venda de energia da hidrelétrica de Belo Monte, em frente à Agergs (Agência Estadual de Serviços Públicos delegados ao RS), órgão onde funciona a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) no estado.
Outras manifestações acontecem em mais seis capitais do país e na capital federal.
O objetivo é debater com a sociedade sobre os grandes problemas sociais e ambientais dessa obra, prevista para ser construída no rio Xingu, no Pará.
“Estamos cansados de ver nossos recursos naturais serem explorados por empresas multinacionais. Nós queremos ser soberanos e queremos ter controle sobre o nosso modelo energético”, afirmou Edson Bitencurt, da coordenação do MAB.

FONTE: http://www.mst.org.br/node/9660

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br