16/06/2010 12:00 am

MOVIMENTO SEM TERRA É TEMA DE DEBATE NA UFRJ E NA UERJ

MOVIMENTO SEM TERRA É TEMA DE DEBATE NA UFRJ E NA UERJ
Fundado no inicio da década de 1980, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é hoje visto como um dos mais expressivos movimentos sociais da América Latina. O acesso à terra é a principal bandeira do movimento que, entre outras formas de luta, se utiliza de ocupações como forma de resistência e de pressionar o governo pela distribuição de terras.

Durante sua longa trajetória, o MST provocou diferentes reações na sociedade, ganhando tanto apoiadores como adversários. De um lado, estão os que acreditam que o movimento não passa de um bando de vândalos, que depredam injustamente propriedades alheias e agem com violência. De outro, aqueles que defendem a sua legitimidade enquanto movimento social organizado, expressão da democracia e apontam para a justiça da sua luta pela reforma agrária.

Para estimular a reflexão sobre essas questões, será promovido nessa semana, nos dias 16 e 17 e junho, o debate “MST: Organização Criminosa ou Movimento Social?”. Confira a programação das mesas e os locais do evento.

16 de junho (quarta) – 18h

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Auditório 71 – 7º andar (Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã)

17 de junho (quinta) – 18h
Faculdade Nacional de Direito – UFRJ
Salão Nobre (Rua Moncorvo Filho, 8, Centro – Praça da República)

MESA:
– Marcelo Durão
Coordenador Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)

COMENTARISTAS:
– Carlos Henrique Naegeli Gondim
Procurador Federal junto ao INCRA/RJ

– Paulo Alentejano
Doutor em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Professor de Geografia

– Plínio de Arruda Sampaio
Procurador aposentado no Estado de São Paulo, Presidente da Associação
Brasileira pela Reforma Agrária.

– Paula Mairan
Graduada em Comunicação Social pela UFF, ex-jornalista da Folha de São Paulo e do Jornal do Brasil.

Fonte: http://direitopraquem.blogspot.com

FONTE: http://www.piratininga.org.br/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br