29/08/2012 12:00 am

Mexicanos realizam atividades contra o desaparecimento forçado

Mexicanos realizam atividades contra o desaparecimento forçado

 

Na próxima quinta-feira (30) é realizado no México  o Dia Internacional das Vítimas de Desaparição Forçada. Em virtude da data e pelo fato de o México ser um país que ainda hoje enfrenta este problema, a Campanha Nacional contra a Desaparição Forçada faz uma ampla programação com vistas a chamar atenção, ajudar a combater o crime e exigir o aparecimento das vítimas com vida, assim como a punição de todos os responsáveis.

Entre as atividades está prevista a realização de uma Jornada contra a criminalização do protesto social. A iniciativa se enquadra no contexto da luta contra as desaparições forçadas, pois inúmeros ativistas e defensores de direitos humanos que batalham por esta causa são taxados de terroristas.

 

A programação teve início na segunda-feira (27) e segue até sexta-feira (31) na Cidade do México. A atividade principal acontecerá no dia 30. Será uma marcha que sairá da Embaixada da Colômbia às 11h e se encerrará em frente à Secretaria de Relações Exteriores com uma concentração e um evento político cultural.

 

Familiares de vítimas de desaparição forçada, organizações sociais de direitos humanos, coletivos integrantes da Campanha Nacional contra a Desaparição Forçada e toda a população mexicana são chamados a participar deste momento para repudiar as desaparições que continuam a acontecer e para dizer não à política de criminalização do protesto social adotada pelo estado mexicano.

 

A programação da terça-feira (28) contemplou uma Reunião em apoio ao direito à justiça, com foco no caso de tentativa de execução extrajudicial de ativistas universitários.

 

Nesta quarta-feira (29), no marco do aniversário de 11 anos do Comitê Cerezo México, será apresentado no Centro Universitário Cultural, às 16h o “Relatório de violações aos direitos humanos no México em 2011”. Entre os palestrantes estão Miguel Concha Malo, diretor do Centro de Diretos Humanos Fray Francisco de Vitoria, David Bermudez, diretor de Serviços e Assessoria para a Paz (Serapaz AC), Carlos Perzabal Marcué, diretor da Revista Rino e Francisco Cerezo Contreras, coordenador do Comitê Cerezo México.

 

Dia 30 acontece a marcha saindo da Embaixada da Colômbia às 11h e às 18h será projetado na Faculdade de Ciências Políticas e Social (FCPYS) da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) o documentário ‘De luto vestem os heróis’. No mesmo local acontece dia 31, às 13h, a apresentação do livro “Sucumbíos – história de uma infâmia”.

 

30 de agosto

 

No ano passado, a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu oficialmente o dia 30 de agosto como Dia Internacional das Vítimas de Desaparição Forçada em virtude de pedido da Federação Latino-americana de Associações de Familiares de Detidos Desaparecidos (Fedefam). Mas antes da oficialização da data emblemática organizações sociais, de direitos humanos e familiares de vítimas de desaparição forçada já se mobilizavam para chamar atenção a insistência deste crime no país.

 

Neste ano, se completa o 20° aniversário da adoção pela Assembleia Geral das Nações Unidas da Declaração sobre a Proteção de Todas as Pessoas contra Desaparecimentos Forçados. Apesar disso, o crime continua a acontecer.

 

Fonte: Adital

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=192399&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br