18/09/2012 12:00 am

Metalúrgicos do ABC (SP) entram em greve por aumento real

Metalúrgicos do ABC (SP) entram em greve por aumento real

 

Em assembleia realizada no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, foi decidido, no último domingo (16), que cerca de 68,8 mil metalúrgicos de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra devem cruzar os braços a partir de terça-feira, com o objetivo de pressionar as empresas do segmento a oferecerem aumento real (acima do índice da inflação).

Ao todo, a campanha salarial da categoria engloba 70 mil pessoas na base do sindicato, mas o grupo patronal de fundição (1.200 trabalhadores) ofereceu reajuste real, com a reposição pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), de 5,39%, mais alta de 2,59%, proposta que foi aceita ontem.

 

Os 35 mil trabalhadores nas montadoras não participam da campanha deste ano porque em 2011 fecharam acordo válido por dois anos. Para o Grupo 2 (que abrange máquinas e eletrônicos), 3 (autopeças, forjarias e outros); 8 (trefilação e laminação, entre outros), 10 (que inclui lâmpadas e material bélico) e no segmento de estamparia, não houve avanços.

 

Confira as propostas rejeitadas nos outros grupos

 

Grupo 2

Reajuste de 5% (menor que a inflação).

 

Grupo 3

Reajuste de 7%.

 

Grupo 8

Reajuste de 7,5% nas empresas com mais de 50 trabalhadores e de 7% nas empresas com menos de 50 trabalhadores.

 

Grupo 10

Reajuste de 6,5% nas empresas com até 35 trabalhadores e de 6,97% nas empresas com mais de 35 trabalhadores.

 

Estamparia

 

Reajuste de 7,5% nas empresas com mais de 50 trabalhadores e de 7% nas empresas com menos de 50 trabalhadores.

 

Negociações

 

As empresas que se comprometem com o reajuste de 8% evitam a greve. Caso não apresentem a proposta, as atividades na fábrica serão paralisadas pelos trabalhadores.

 

Foi o que ocorreu nesta segunda-feira na Grundfos, em São Bernardo. Os patrões não ofereceram os 8% de reajuste e, em resposta, os metalúrgicos cruzaram os braços e foram para suas casas.

 

“Tanto que as negociações com os grupos patronais que ainda não alcançaram o índice de 8% continuam. Nesta terça, por exemplo, haverá uma rodada com o Grupo 2, formado por eletroeletrônicos e máquinas, na Fiesp, em São Paulo”, afirmou o vice-presidente do Sindicato, Rafael Marques.

 

Agenda

 

Os metalúrgicos pretendem fazer uma grande manifestação na Avenida Paulista, na quinta-feira (20), às 10h, em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para a obtenção de aumentos reais.

 

Com agências

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=194018&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br