26/10/2011 12:00 am

Maioria dos chilenos não crê que Piñera fará reforma educacional

Uma pesquisa realizada no Chile aponta que a maioria dos cidadãos não acredita que o governo do presidente Sebastián Piñera poderá resolver o conflito por reformas estruturais na educação do país.


De acordo com o levantamento realizado pela rádio Cooperativa, pela Imaginacción Consultores e pela Universidade Federico Santa María, 65,7% dos chilenos acreditam que a atual administração chegará ao fim do mandato, em março de 2014, sem solucionar as reivindicações do movimento estudantil e dos professores. 

Por outro lado, apenas 34% consideram que o governo tem condições de solucionar o conflito. 

A pesquisa também revela que enquanto 76,2% dos cidadãos avaliam que os distúrbios gerados durante as marchas pela educação fazem com que o apoio à causa estudantil diminua, apenas 23,8% consideram que os tumultos não afetam o movimento. 

Além disso, oito em cada 10 entrevistados classificaram como “muito graves” os atos de violência registrados nas últimas manifestações. As ações são “indiferentes” para 10,8% das pessoas e “nada graves” para 8,5%. 

Há quase seis meses o país atravessa um clima de agitação política e social devido aos constantes protestos estudantis por uma educação pública, gratuita e de qualidade para todos.

Fonte: Ansa

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=167142&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br