14/05/2012 12:00 am

Mães de Maio protestam para lembrar massacre de filhos pela PM

Mães de Maio protestam para lembrar massacre de filhos pela PM

 

Para lembrar os assassinatos cometidos pela Polícia Militar (PM) no episódio conhecido como Crimes de Maio, ocorrido há seis anos, movimentos sociais realizam um ato, neste sábado (12), na praça da Paz Universal, em Santos, onde houve o maior número de mortes.

 

A data marca o início do ataque, que matou 493 pessoas no estado de São Paulo por armas de fogo no período de 12 a 20 de maio de 2006, quando ocorriam ataques do PCC (Primeiro Comando da Capital), durante o governo de Claudio Lembro (DEM) no estado de São Paulo. Até hoje ninguém foi punido.

 

Além do ato político, o evento reúne artistas populares. A coordenadora da associação Mães de Maio, Debora Maria da Silva, que perdeu o filho Edson Rogério da Silva no Dia das Mães de 2006 afirma que só há justiça para os ricos.

 

“É muito difícil, porque o estado não reconhece, mesmo tendo testemunhas. Pobre e negro não têm direito a justiça. Temos uma segurança pública falida que investe só em bala e em viaturas porque é opressora e exterminadora”, disse em entrevista à Rádio Brasil Atual.

 

De acordo com Debora, as mães querem federalizar os processos porque já pontuaram a irregularidade existente nos inquéritos. Para ela, a conclusão do Ministério Público é fascista porque mesmo com irregularidades arquivaram os processos. “O Estado matou, ele tem de ser responsável para estar junto com a federalização, junto com a polícia federal para ressaltar o que a gente quer: Memória, verdade e justiça dos crimes de maio”, disse a mãe.

 

Com Rede Brasil Atual

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=183087&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br