4/01/2011 12:00 am

LÍDERES AFRICANOS TIVERAM ENCONTRO “ÚTIL” COM GBAGBO

LÍDERES AFRICANOS TIVERAM ENCONTRO “ÚTIL” COM GBAGBO

A delegação de líderes africanos que está a mediar a crise política na Costa do Marfim teve esta segunda-feira um encontro “útil” com Laurent Gbagbo, que se tem recusado a deixar a presidência do país após as eleições de 28 de Novembro, cuja vitória é atribuída a Alassane Ouattara.

Não foram dados muitos pormenores sobre o encontro que decorreu em Abidjan. O primeiro-ministro do Quénia, Raila Odinga, disse apenas que está a ser procurada uma solução para a crise que inclua a saída do Presidente cessante.

“Estamos a procurar uma solução pacífica que integre a segurança de Laurent Gbagbo e os seus apoiantes, se ele concordar em ceder o poder”, disse Odinga, citado pela BBC. Pouco antes a estação britânica tinha adiantado a possibilidade de ser oferecida uma amnistia legal ao presidente derrotado nas eleições de Novembro que se recusa a recohecer o resultado.

O encontro durou cerca de duas horas e nele participaram, para além de Odinga, os presidentes Boni Yayi, do Benin, Ernest Koroma, da Serra Leoa, e Pedro Pires, de Cabo Verde. A delegação é mandatada pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, que tem exigido a retirada de Gbagbo para ceder lugar a Ouattara, reconhecido pelas Nações Unidas e a União Africana como o novo chefe de Estado da Costa do Marfim.

Do encontro não resultou um acordo definitivo. “Havemos de voltar”, disse aos jornalistas o Presidente do Benin, que tal como os outros mediadores se encontrou depois com Ouattara, que está bloqueado num hotel e protegido por cerca de 800 capacetes azuis.

O ministro da Informação e porta-voz do Governo da Serra Leoa, Ibrahim Ben Kargbo, disse, citado pela AFP, que Gbagbo deve deixar a presidência e que, quanto a isso, não haverá “qualquer compromisso”. Mas adiantou que poderão ser estabelecidas condições para “facilitar” a sua partida. 
A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental já ameaçou com uma intervenção militar “em último recurso” se Gbagbo não aceitar deixar o poder de forma pacífica. 

Esta segunda-feira, um alto responsável norte-americano disse à AFP, sob anonimato, que os Estados Unidos poderão acolher Gbagbo, se este pedir, para pôr fim à crise que, segundo a ONU, já causou cerca de 200 mortos. “Queremos que ele saia. Se quiser vir para os EUA certamente analisaremos essa possibilidade como forma de resolver a crise”, explicou o responsável, citado pela AFP.

 

FONTE: http://www.publico.pt/Mundo/lideres-africanos-tiveram-encontro-util-com-gbagbo_1473403

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br