30/11/2010 12:00 am

JOIAS DO PARÁ PARTICIPAM DE CONFERÊNCIA DA ONU NO MÉXICO

JOIAS DO PARÁ PARTICIPAM DE CONFERÊNCIA DA ONU NO MÉXICO

BELÉM – A participação das joias do Pará na COP 16 – Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as mudanças climáticas, que acontecerá no período de 29 de novembro a 11 de dezembro, em Cancún, no México, marca o encerramento do trabalho de divulgação da coleção de joias “Universo do Lugar”.

O convite para participar do evento, como parte da Exposição Espaço Brasil, partiu da empresa Fare Arte, de São Paulo.  O evento tem o patrocínio do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Brasken.  A iniciativa é da Casa Civil da Presidência da República, Ministério do Desenvolvimento Agrário e Secretaria de Comunicação da Presidência.

Lançada em dezembro de 2009, durante a VI Pará Expojoia – Amazônia Design, a feira de joias realizada no Espaço São José Liberto/Polo Joalheiro, a coleção “Universo do Lugar” é o resultado do II Workshop Internacional de Design e Ourivesaria, coordenado pelo designer e arquiteto Stefano Ricci e pelo mestre ourives e crítico de arte Claudio Franchi, ambos da Itália.

A coleção é formada por 33 peças, em ouro, prata, gemas minerais e orgânicas, concebidas durante o II Workshop, no qual Stefano Ricci e Claudio Franchi coordenaram todo o trabalho de concepção das joias.  A coleção encerra no México um circuito itinerante, que inclui cidades como São Paulo e Seul, capital da Coréia do Sul.

Os Workshops Internacionais de Design e Ourivesaria, promovidos pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), governo do Pará, por intermédio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect), e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), integram o Projeto de Qualificação Profissional em Joias, destinado aos profissionais do Polo Joalheiro do Pará.

Escola

Para Stefano Ricci, o objetivo do II Workshop Internacional, realizado em 2009, foi “criar as condições necessárias à continuação do trabalho em direção a uma requalificação e à formação profissional, de acordo com as necessidades dos operadores do setor joalheiro local e do mercado.  Outra meta foi colocar as bases para a criação de uma Escola de Joalheria do Pará, inspirada nos princípios de um manifesto programático proposto pelos curadores do workshop no livro Conceito, projeto, objeto – para uma escola da joia paraense, com a curadoria de Claudio Franchi”.

A coleção é uma das vertentes do trabalho de identificação e conceituação da Escola de Joalheria do Pará, que segundo os dois especialistas italianos ainda galga os primeiros degraus, mas reúne elementos para se concretizar como referência da joalheria artesanal no Brasil.

Esta certeza está expressa no Manifesto da Escola de Joalheria, que entre suas diretrizes almeja “definir a identificação da simbologia poética da Escola, referente aos aspectos das tradições culturais do Pará, tendo como objetivo o fortalecimento da identidade do genius loci (gênio do lugar).

Ricci e Franchi são ardorosos defensores da joia como obra de arte, por comunicar a memória, a história e a cultura de um lugar e fortalecer a “relação entre mão e matéria”, além de valorizar o trabalho dos artesãos.  Toda a experiência acumulada em anos de atuação no mercado joalheiro da Europa e de outros grandes centros produtores e consumidores de joias, eles trazem desde 2008 ao Pará, onde identificaram um modo próprio de fazer joia.

Segundo o mestre ourives, a joia feita pelos profissionais do Polo Joalheiro do Pará é enriquecida pela “consciência artesanal”, não contaminada pelas diretrizes da indústria joalheria.

Para Rosa Helena Neves, diretora executiva do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), todo o trabalho que vem sendo realizado representa um “significativo avanço ao processo de concepção e produção da joia paraense, pois a metodologia pedagógica é baseada em um diálogo profundo entre ourives e designer, sempre respeitando os diferentes conhecimentos que cada profissional acumulou em sua trajetória”.

VII Pará Expojoia Amazônia

A continuação desse trabalho será vista na VII Pará Expojoia Amazônia Design, quando será lançada a coleção Anima Mundi, cuja curadoria é assinada por Ricci e Franchi, resultado do III Workshop Internacional de Design e Ourivesaria. (AL)

FONTE: http://portalamazonia.globo.com/pscript/noticias/noticias.php?idN=115802

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br