6/01/2011 12:00 am

IRÃ BUSCA CERTIFICAÇÃO DE MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE GÁS NATURAL COMPRIMIDO

IRÃ BUSCA CERTIFICAÇÃO DE MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE GÁS NATURAL COMPRIMIDO

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Irã pode ser reconhecido como o maior produtor mundial de gás natural comprimido. A certificação deve ser divulgada nos próximos dias. O diretor da Companhia de Distribuição de Produtos de Óleo do Irã, Farid Ameri, disse hoje (6) que o país deve receber este ano o registro internacional que o certifica como líder mundial na produção de gás natural comprimido (GNC). O registro, segundo ele, é válido por quatro anos, até 2015.

As informações são da rede estatal de televisão do Irã, a Press TV. Pelos dados oficiais, há 1.540 postos de gás comprimido em operação no Irã, mas o número deverá aumentar para 2.188 durante o próximo ano iraniano. Ameri disse ainda que o governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pretende ampliar a construção e criação de postos de GNC em cooperação com o setor privado e centros científicos.

Segundo Ameri, o desafio agora é aumentar a produção de equipamentos usados no setor, pois o Irã é autossuficiente apenas em 35% das situações. No esforço de obter esses avanços, houve um apelo coletivo para que todas os setores relacionados à área passem a contribuir – os ministérios de Petróleo, de Energia, do Interior, do Comércio, das Indústrias e dos Transportes Rodoviários.

Paralelamente, o governo Ahmadinejad tenta dirimir as dúvidas da comunidade internacional em torno do programa nuclear iraniano. No final deste mês, são esperadas autoridades estrangeiras, que foram convidadas a visitar usinas nucleares em funcionamento no Irã. Para parte da comunidade internacional, o país produz armas nucleares secretamente.

As autoridades iranianas negam as acusações. Segundo elas, o programa nuclear tem fins pacíficos. O governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi contrário à imposição de sanções ao Irã – em junho de 2010 o Conselho de Segurança das Nações Unidas determinou as punições – e favorável à busca da negociação por meio do diálogo.

Edição: Juliana Andrade

 

FONTE: http://agenciabrasil.ebc.com.br/ultimasnoticias?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=3157236

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br