21/06/2010 12:00 am

INTRASIGÊNCIA DE UM PREFEITO

INTRASIGÊNCIA DE UM PREFEITO

Cadê a Promotoria de Justiça de Educação que não se manifesta sobre a inércia do prefeito João Castelo (PSDB), em não manter uma nova negociação salarial com os professores da rede municipal de ensino? Aonde está o Ministério Público Estadual para cobrar o fim da greve e ao mesmo tempo encontrar uma saída viável tanto para a Prefeitura de São Luís quanto para os professores? 18/06/2010 Mario Carvalho. AGENDA DA GREVE

DIA HORÁRIO PROGRAMAÇÃO LOCAL
Segunda-feira:21/06 MANHÃ:08h00-12h00 CONCENTRAÇÃO EM FRENTE À PREFEITURA. 
TARDE:13h00-17h00 CONCENTRAÇÃO  SINDEDUCAÇÃO
Terça-feira:22/06 MANHÃ:08h00-12h00 CONCENTRAÇÃO  EM FRENTE À PREFEITURA 
TARDE:13h00-17h00 CONCENTRAÇÃO  SINDEDUCAÇÃO
Quarta-feira:23/06 MANHÃ:08h00-12h00 CONCENTRAÇÃO  EM FRENTE À PREFEITURA 
TARDE:13h00-17h00 CONCENTRAÇÃO  SINDEDUCAÇÃO
Quinta-Feira:24/06 MANHÃ:08h00-12h00 CONCENTRAÇÃO  EM FRENTE À PREFEITURA 
TARDE13h00-17h00 CONCENTRAÇÃO  SINDEDUCAÇÃO
NOTA: QUINTA-FEIRA, DIA 24/06, SERÁ REALIZADA ASSEMBLÉIA GERAL A PARTIR DAS 17h00 NA SEDE DO SINDEDUCAÇÃO.A DIRETORIA


 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: http://www.sindeducacao.com.br/

SEX, 18/06/2010 Por Mario Carvalho

Cadê a Promotoria de Justiça de Educação que não se manifesta sobre a inércia do prefeito João Castelo (PSDB), em não manter uma nova negociação salarial com os professores da rede municipal de ensino?

Aonde está o Ministério Público Estadual para cobrar o fim da greve e ao mesmo tempo encontrar uma saída viável tanto para a Prefeitura de São Luís quanto para os professores?

Enquanto esses dois questionamentos não são respondidos, vale ressaltar que a burrice e a intransigência do prefeito João Castelo estão prejudicando mais de 100 mil alunos da rede municipal de ensino, que estão sem aula desde o dia 19 de maio, data em que os professores resolveram decretar greve por tempo indeterminado.

No total, são 6 mil professores efetivos e mais 600 contratados pelo município que estão fora das salas de aula, cobrando do prefeito João Castelo um realinhamento salarial da ordem de 27,5%,por conta das perdas do Fundeb. Enquanto isso, o prefeito concede apenas 8%, desconhecendo as perdas do Fundeb.

E nesse meio termo como ficam os pais dos alunos que estão sem aula, que correm o risco de perder o primeiro semestre do ano letivo e complicar todas as atividades do ano de 2010?

Tudo por conta da intransigência e da burrice de uma gestão arcaica que hoje é o verdadeiro retrato do caos de uma cidade como São Luís do Maranhão, que se moderniza ainda que remando contra a maré do descaso.

FONTE: http://www.sindeducacao.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=157&Itemid=28 

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br