1/03/2011 12:00 am

INFRAERO DESCARTA INTERVENÇÃO NO AEROPORTO DO TIRIRICAL

INFRAERO DESCARTA INTERVENÇÃO NO AEROPORTO DO TIRIRICAL

O titular da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Marcos Aurélio Freitas, se reuniu ontem com o superintendente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) no Maranhão, Hildebrando Coelho Correia. No encontro, ficaram definidas, entre outras ações, operações monitoradas de limpeza no entorno da área do Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, no bairro do Tirirical.

Durante a reunião, o superintendente da Infraero no Maranhão descartou a possibilidade de qualquer intervenção ou paralisação das atividades do aeroporto em função do Aterro da Ribeira. Segundo ele, o documento enviado ao Ministério da Defesa tem caráter apenas de alerta preventivo, no sentido de orientar ações preventivas na área.

Hildebrando Coelho informou ainda que o Ministério da Defesa enviou também ofício, alertando sobre segurança de voos para outras cidades brasileiras, a exemplo de Manaus. O superintendente disse que a medida não foi isolada e direcionada apenas ao aeroporto de São Luís.

No encontro, também ficou decidido que a Infraero formará, neste mês de março, um comitê com secretarias municipais, estaduais e outros órgãos competentes para traçar de ações de reforço ao controle permanente das aves na área do aeroporto com o objetivo de determinar as responsabilidades de cada um.

“Em momento algum, a Infraero nos informou que tínhamos responsabilidade sobre o suposto fechamento do aeroporto, mesmo porque trabalhamos em parceria, sempre atendendo a todas as solicitações que nos são feitas pela empresa”, assegurou o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos.

O titular da Semosp afirmou, também, que o último documento de notificação enviado à Secretaria data do dia 16 de agosto do ano passado. “O último documento que recebemos da Infraero foi uma solicitação para a complementação da retirada de resíduos sólidos da área do aeroporto, que foi prontamente atendida no dia 24 do mesmo mês”, assegurou Marcos Aurélio Freitas.

A reunião que a Infraero fará com outros órgãos competentes do município de São Luís e do Estado do Maranhão será para definir as responsabilidades de cada um deles, inclusive da própria Infraero.

“A responsabilidade não é apenas do município de São Luís, é também do Estado. Inclusive, o Ministério da Defesa enviou um ofício para a governadora Roseana, datado de 8 de fevereiro de 2011, para que todos os órgãos, inclusive a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, contribuam com a segurança da área aeroportuária, na questão da fauna por exemplo”, destacou Marcos Aurélio.

Limpeza diária 
– O secretário acrescentou que, no mês de janeiro deste ano, a Semosp retirou 15 mil toneladas de resíduos sólidos das áreas que englobam os bairros no entorno do Aeroporto de São Luís. A gestora de Fiscalização da Secretaria, Mirna Moreira, esclareceu que as equipes da Semosp realizam, diariamente, a limpeza no entorno do aeroporto, tanto nas áreas externas quanto nas internas.

“Vale observar, ainda, que a Infraero não tem fiscalização própria para sua área e o muro que cerca o aeroporto é constantemente quebrado por vândalos, permitindo o acesso de carroceiros e moradores que despejam lixo no local, que é ainda usado para desova de corpos e tráfico de entorpecentes”, disse Mirna Moreira.

De acordo com dados do Controle de Serviço de Pesagem da Semosp, somente entre os dias 10 e 20 de fevereiro, foram recolhidas nos bairros do São Raimundo, Vila Cascavel, Jardim São Cristóvão, Vila Cutia, Vila Alexandra Tavares e Tirirical, que ficam no entorno do aeroporto, mais de 1.800 toneladas entre resíduos domiciliares, remoções manuais, mecanizadas e de caixas estacionárias (contêineres).

O superintendente de Limpeza da Semosp, Raimundo Pacheco, afirmou que as aves que oferecem risco de colisão com as aeronaves são oriundas da disposição inadequada de lixo em terrenos baldios e principalmente de matadouros clandestinos no bairro do Tibiri, inclusive um deles já foi notificado pela Infraero em outubro de 2008.

De acordo com o fiscal de área da Semosp, Celso Marcelino, o Aterro da Ribeira não entra na rota de voo das aeronaves. “A cabeceira da pista do aeroporto está alinhada com a Vila Itamar, São Raimundo e Tibiri. O aterro está do lado oposto”, explicou Marcelino.

O coordenador de Operações do aterro, João José da Silva, explicou que uma empresa trabalha exclusivamente dentro do local, realizando os procedimentos de espalhamento, compactação e drenagem dos resíduos, que são realizados normalmente e intensificados durante o período chuvoso.

 

FONTE: http://www.jornalpequeno.com.br/2011/3/1/infraero-descarta-intervencao-no-aeroporto-do-tirirical-147647.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br