25/05/2012 12:00 am

Indignados no México: estudantes protestam contra manipulação

Indignados no México: estudantes protestam contra manipulação

 

O processo eleitoral no México adquiriu uma nova coloração graças à onda de manifestações juvenis que começa a ser comum no Distrito Federal e outras cidades do país. Nesta quarta-feira (23), mais de 5 mil estudantes universitários saíram às ruas das principais cidades do México para protestar contra a “manipulação midiática e política” das eleições presidenciais.

 

Eles contestam a cobertura de um ato estudantil contra o candidato Enrique Peña Nieto do Partido Revolucionário Institucional (PRI), realizado na Universidade Ibero-Americana, no último dia 11, de onde o Nieto foi obrigado a sair entre vaias e gritos de “fora”.

 

Leia também:

 

México: estudantes denunciam manipulação midiática em eleições

 

Na ocasião, 131 estudantes interromperam um debate de Peña Nieto na universidade e foram retratados na imprensa e nos meios políticos como “agitadores”. Os alunos da Ibero-Americana gravaram um vídeo para responder às críticas que se espalhou pelas redes sociais mexicanas. A mobilização chegou a outras universidades e uma marcha nacional foi agendada pela internet.

 

O movimento foi batizado de “Todos somos 132”, para se somar aos 131 alunos que colocaram seus rostos e informações na rede. Em especial, eles se manifestam por liberdade de expressão e contra a manipulação da informação feita pelas emissoras de televisão. Os manifestantes também querem que as eleições sejam monitoradas por observadores independente.

 

“Hoje é um grande dia para história do México. A grande virtude do movimento é ter encontrado um ponto de união para os mexicanos”, disse Saúl Alvídrez, representante dos estudantes. “A classe política tem de entender que não podemos ser manipulados com mentiras.”

 

“Somos de escolas diferentes, mas temos em comum a demanda por informação precisa e estamos indignados com a manipulação midiática”, disse a estudante Rosana Holsch à agência EFE. De acordo com a estudante, apesar de o movimento ter nascido a partir de críticas a Peña Nieto, ele é apartidário.

 

Com Efe e Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=184178&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br