16/06/2010 12:00 am

GUARNICÊ: REVELANDO TALENTOS DO CINEMA MARANHENSE

GUARNICÊ: REVELANDO TALENTOS DO CINEMA MARANHENSE
Festival exibe produções locais e nacionais e forma platéias ao longo de 32 edições

Em 32 anos, o Festival Guarnicê de Cinema já recebeu 14400 trabalhos para exibição em suas mostras competitivas. Por trás de cada produção, estão realizadores iniciantes e profissionais que partilham da mesma expectativa: ter seu trabalho exibido e reconhecido por um dos festivais mais antigos do país.

“Todos os realizadores maranhenses foram revelados no Guarnicê, e por isso todos têm grande carinho por ele”, afirma o cineasta Francisco Colombo, que participa do Guarnicê desde 2002, com dez produções inscritas, trabalhando em diferentes funções.

Entre os prêmios recebidos por Colombo está o de Melhor Filme Nacional segundo o júri popular, recebido em 2009 pelo filme Reverso, que ganhou ainda os prêmios Kinetoon e 9D. Procura-se, Sonhos de Rua e Instante são outras de suas produções que já participaram do Festival.

Já a estudante de Jornalismo Andréa Barros, que exibe este ano o vídeo “Na costa da minha mão”, premiado no Rumos do Itaú Cultural, não abriu mão de inscrever sua produção no Festival, do qual já foi espectadora. “Resolvi inscrever o vídeo no guarnicê pelo mesmo motivo de ter inscrito no Itaú cultural: disseminar a cultura do sotaque de costa de mão e deixar claro aos espectadores que se não preservarmos o sotaque, ele entrará em extinção. ter participado como espectadora também me incentivou bastante, pois pude perceber o valor dado à produção local e a temas relacionados à cultura maranhense”, explica.

O termo Guarnicê tem origem no bumba-meu-boi e se refere ao momento em que os brincantes se reúnem antes de mais uma apresentação. Para Joaquim Haickel, o termo traduz perfeitamente o sentido do Festival. “O Guarnicê tem mesmo essa função de chamar todos a se reunirem em volta da idéia de fazer cinema. Além disso, ele acontece na época das festas juninas e traz realizadores de outros estados, que também conhecem a cultura local”, diz ele, ressaltando a importância turística do evento.

Joaquim Haickel participou do Guarnicê pela primeira vez em 1984, quando particpou da produção do filme “O Amigão”, que recebeu três prêmios, incluindo os de Melhor Filme pelo júri popular e Melhor Curta Metragem. Em 2008, foi a vez do filme “Pelo Ouvido”, premiado em categorias como Melhor Atriz, para Amanda Costa,melhor alguma coisa e melhor algo mais no Guarnicê, ponto de partida para os mais de 130 festivais nos quais o filme foi exibido, incluindo a mostra Corner of Cinema, do Festival de Cannes.

Dos primeiro realizadores às novas gerações de cineastas e espectadores, o Festival Guarnicê continua a formar profissionais e público qualificados, como contribuição da Universidade Federal do Maranhão para o crescimento do cinema maranhense. Sua 33ª edição acontece entre os dias 22 e 26 de junho, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana e no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho.

Lugar: Campus do Bacanga/SLZ
Fonte: Izabel Almeida/ASCOM/UFMA
Notícia alterada em: 16/06/2010 12h54

FONTE: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=8511

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br